terça-feira, 4 de outubro de 2016

Papo de Especialista - Nove meses de muitos sentimentos

A gestação é vista por muitas pessoas como um momento mágico, no qual se deve celebrar todo o tempo a vinda do herdeiro ou da herdeira com muita alegria e entusiasmo.


Para a futura mamãe, poucas vezes permite-se falar sobre o que “esse mar de rosas” traz consigo...uma série de sentimentos ambivalentes e que a confundem, nesse período em que todos esperam que ela esteja radiante, feliz e super disposta.

O que acontece é que a mulher pode sentir incômodos físicos pelas mudanças corporais, pode ter dúvidas, medos, inseguranças... Ela geralmente começa a pensar em todas as transformações que poderão ocorrer assim que seu bebê nascer, e vamos combinar que isso não é nada fácil!

Mas porque será que as pessoas acham que na gravidez tudo é tão “cor de rosa”? Talvez a explicação esteja relacionada à história da humanidade ou ainda, à história da maternidade, onde até pouco tempo a mulher era vista como a pessoa que tinha a missão de cuidar da casa, do marido e de ter filhos.

Nessa época, nem se pensava a possibilidade da mulher fazer escolhas, querer ou não engravidar não era uma questão, era uma tarefa incorporada à sua existência. Bom que os tempos mudaram, bom para as mulheres que podem fazer suas escolhas sobre o melhor momento para isso, mas ainda assim, pouco se pode falar sobre o que não é tão confortável.

A proibição velada ou às vezes escancarada de assuntos como...”não sei se queria estar grávida”, “não estou me sentindo bem com essa barriga”, “quero que nasça logo, não aguento mais”, “estou com medo”...interrompe um processo de elaboração emocional da mulher com relação às mudanças e à apropriação do corpo modificado e ainda, do papel de mãe daquele bebê.

Para os familiares, companheiros e amigos das gestantes que parecem estar desconfortáveis com algumas questões, sejam elas físicas ou emocionais, cabe a gentil tarefa de acolhê-la, deixa-la falar, ajudando-a assim, a incorporar essas mudanças e inseguranças como algo natural deste processo.
Já às futuras mamães, não tenham medo de seus medos, isso é natural, é esperado e pode ser compartilhado com aquelas pessoas com as quais você se sinta mais à vontade, aquelas que te acolhem e podem te escutar sem criticar. Seu medo não fará mal algum ao seu bebê!


Nenhum comentário:

Postar um comentário