quinta-feira, 10 de março de 2016

Amiga você está chata! Chata! Chata!

Estou refletindo sobre isso há algum tempo e confesso que não sabia como escrever sobre esse tema sem ser crítica demais ou sem ferir os sentimentos das pessoas que amo mas militam por suas causas pessoais. Acontece que isso está entalado aqui na garganta faz tempo e o fato é que está muito chato ser mãe com tanta gente ca..... regra por ai.


Tentei ser delicada, mas não consigo, me desculpem, estou me sentindo excluída de todas as panelinhas maternas e tenho vontade de chegar nesse pessoal e dizer “parem de se colocar nesse pedestal da maternidade consciente, ninguém é melhor que ninguém não”.

Foi cesárea? Foi natural? Você deu chupeta para o seu filho? Ele não mamou no peito? Você não tentou amamentar? Você não usou fraldas de pano? Você o colocou na escola cedo? Você abandonou sua carreira pelo seu filho? Ele não come apenas comida orgânica e natural? Ele comeu açúcar antes dos 2 anos? Ele nunca comeu um docinho? Ele não tem rotina do sono? Ela não usa rosa? Ela só usa rosa? Como assim ELE usa rosa? Ela brinca de carrinho? Ele brinca de boneca? Sua filha assiste televisão? Seu filho mexe no seu smartphone ou tablete? Tem muito brinquedo? Tem pouco brinquedo? Seu quarto é montessoriano? Seu quarto não é montessoriano? Ela gosta de princesas? Você está pressionando seu filho para desfraldar? Seu filho não devia estar mais usando fraldas...

Olha, se eu continuar escrevendo todas as regras que andam me deixando louca da vida, esse texto seria infinito e em época de textão político no facebook, melhor me controlar rsrsrs.

Eu nunca sei quando vão me achar legal ou a pior mãe de todos os tempos e é claro que não me preocupo com isso, mas vamos combinar que como mulher e latina, meu sangue corre nas veias e vez ou outra eu fico estressada com tanto dedo apontado para mim.

A verdade é que me parece que existem dois grupos de mães, as naturalistas e as que seguem a linha contrária (não sei como defini-las), um lado acha que as mães são ruins porque não oferecem para os filhos uma vida mais equilibrada e as outras que acham que é tudo um exagero.

Daí existe eu, que acha tudo isso um saco, não quero fazer parte de panelinha nenhuma, só criar minha pequena em paz sem que ninguém me julgue porque eu dei chupeta, porque ela não mamou no peito, porque sou crica e controlo o que ela come, porque não gosto de dar remédio, minha filha adora personagens da Disney (mesmo que eu deteste todas rs), porque as vezes estou tão cansada que uso o tablete para fazer ela comer e por ai vai...

Já é tão foda ser mulher nesse mundo machista, tão difícil assumir tantas atividades como mãe, incluindo repensar carreira (quando não tomamos um pé na bunda) e ainda temos que escolher um lado entre militantes ou não para conseguirmos apoio das outras mães?!?!

Amiga, mesmo que você não acredite, pode ter certeza que você solta frequentemente um “eu não julgo ninguém, mas...” esquece, você julga, todas julgamos e isso está errado, precisamos parar. Não tem ninguém errando ou acertando por aqui não, tem é um monte de guerreira tentando fazer o melhor que pode para crias seus filhos.

Você é chata, mala, pé no saco, dita regras e por ai vai, toda vez que achar que a sua escolha é melhor do que a da amiguinha tá bem? Sororidade (apoio que uma mulher da a outra) na maternidade já, chega de ser “mãechistas”, vamos abraçar umas as outras e seguir essa batalha juntas.

#prontofalei

Nenhum comentário:

Postar um comentário