quarta-feira, 11 de março de 2015

Mudança de Escola – Minha Adaptação

A Manu vai para escolinha desde os quatro meses e sempre gostei da instituição que ela frequentava, nunca tive nenhum problema sério. Porém a localização estava dando certa dor de cabeça, pois ficava em uma parte do meu bairro que tem muito trânsito. Depois de muito conversar e pesar prós e contras, resolvemos mudar a nossa pequena de escola.

IMG_9453

Eu achava que seria uma transição muito fácil, pois eu já sabia o que queria de uma escola e a Manu já é quase uma mocinha, então moleza né? Não! Foi muito mais difícil do que eu pensei, visitei várias escolas e nenhuma parecia que respondia as minhas expectativas. Nada parecia bom o suficiente, era grande demais, pequena demais, perto ou longe, eu via defeito em tudo.

Até que escolhi uma escola, depois que recebi algumas indicações, gostei da proposta, achei que tinha uma relação com tudo o que eu queria para a formação da Manu e fiz a matrícula. Fui fazer a adaptação da Manu (e minha) e vivi as seguintes situações:

  • Os triciclos não tinham o pedal, só o ferro.
  • A professora viu e deixou um menino de dois anos brincar com um objeto pontiagudo na mão.
  • A professora deixou um menino de dois anos brincar com o líquido de bola de sabão sozinho. O que ele fez? Bebeu e jogou na cara!
  • Ela saiu correndo para socorrer o menino e nenhum adulto ficou supervisionando os pequenos que estavam brincando no pátio. A Manu subiu sozinha no escorregador, algo que ela não faz sem um adulto por perto.
  • Um moleque “sentou” a mão na Manu que chorou e ninguém apareceu para ver o que estava acontecendo.
  • Colocaram um flip-chart no pátio para uma aula que os maiores fariam, só que no meio do intervalo dos pequenos. O que vocês acham que as crianças fizeram? Começaram a subir, até que em um determinado momento a Manu caiu e quase se machucou sério.

Isso tudo que eu contei aconteceu em uma hora apenas de permanência na escola, eu fiquei muito nervosa, peguei a Manu e fui embora no mesmo instante. Depois, eu fiquei pensando se eu estava exagerando, se aquilo realmente era tão grave quanto me parecia, se eu estava ficando uma neurótica, mas senti que estava certa e que fiz o que era correto.

Pedi reembolso da matrícula e comecei novamente a procurar uma escola para Manu. Toda essa experiência me deixou muito desconfiada e me fez rever meus valores, eu procurava um lugar com uma pedagogia que seguisse a minha ideologia, mas quer saber? Para uma criança na idade dela eu não preciso disso, o mais importante é que o ambiente seja seguro, que tenha carinho, respeito e organização. Claro que eu quero que ela brinque e aprenda, mas quero que ela seja feliz mais que tudo.

Ela começou há alguns dias em outra escola, estamos gostando, porém confesso que ainda estou um pouco traumatizada. Fico de olho em tudo, quero saber exatamente o que e como aconteceu. A Manu chora para ficar na escola e eu já fico super tensa (ela fazia isso na escola que ela já frequentava), achando que ela não está gostando, fico procurando “pelo em ovo” sabe?

Estou confiante, sei que é uma fase, mas fico me perguntando, será que um dia eu vou me adaptar?

Nenhum comentário:

Postar um comentário