terça-feira, 3 de fevereiro de 2015

Ela está me testando, eu sei. Mas até quando?

Ontem fomos ao shopping com a Alice (2 anos e 1 mês, lembrem-se), pois eu precisava comprar umas coisas para minha empresa e quis aproveitar a “viagem” para jantar por lá. Durante o jantar, minha querida filha deixou de ser bonequinha e um estranho ser habitou aquele corpo, e resolveu aterrorizar no momento de refeição.

IMG_2936

Gente, sério, foi tenso. Ela pulou da cadeira, arrancou os sapatos, se arrastava no chão passando pelas cadeiras das outras mesas, jogou minha carteira no chão, recusou parte da comida, gritou. Sabe aquela cena que a gente vê antes de ser mãe e pensa: “Ah, se fosse meu filho…”. Então! O que fazer quando de fato É o seu filho?

Segui todas as regras dos livros. Me abaixei na altura dela, conversei séria, mas sem gritar. Busquei-a e coloquei-a na cadeira 5 mil vezes, sem me descabelar. Peguei no colo, conversei, dei carinho, expliquei que não é legal se comportar assim. Nada adiantou. Em um determinado minuto olhei pro meu marido com cara de piedade e disse: Você nào tem vontade de dar uns tapas na bunda dela nessa hora? E ele, quieto e sério, já chateado com a situação, só fez que sim com a cabeça.

Nunca o fizemos, nunca partimos para a palmada, mas tem vezes que juro que não sei mais o que fazer. Nada resolve. E aí você lê que a criança nessa idade está testando os limites dos pais, então me pergunto: até quando? Qual é o limite? Quando isso acaba?

Depois que eu acabei de comer (engolir) a comida, ela pediu para ir ao banheiro, e fomos, e então o papai conseguiu acabar de comer e fomos embora. Aí ela se comportou melhor, dormiu no caminho, e chegou em casa apagada, como um anjinho!

Por favor, me contem que isso não acontece só comigo!

Nenhum comentário:

Postar um comentário