quarta-feira, 4 de fevereiro de 2015

Cuidados ao comprar roupas para as crianças

Por Josi Guimarães

Muitas vezes colocamos nas crianças aquilo que achamos bonito, não necessariamente aquilo que elas gostam de vestir, mesmo porque é muito difícil saber a opinião de uma criança com relação a uma peça de roupa, elas ainda não compreendem certos tipos de incômodos. Sentem-se desconfortáveis, mas não sabem com o que de fato.

Somente a partir dos 2 anos (mais ou menos) a criança começa a desenvolver habilidades sensoriais, visuais e olfativas para associar objetos e o que esses representam para elas e assim começando a ter influência nas decisões de compra dos pais.

Será que aquele sapatinho realmente sempre cai ou ele é "eliminado" pela criança por algum incômodo? Qual será o verdadeiro motivo que uma criança não deixa um chapéu na cabeça? Já tentou outro chapéu? Quando uma criança berra para trocar de roupa é porque ela não quer trocar de roupa ou porque aquela roupa x traz uma memória negativa?

Alice-2anos-festa-10

Nenhuma dessas perguntas tem uma resposta, na verdade são apenas pensamentos que acredito que devem ser levados em consideração pelos pais na hora de escolher uma peça de roupa para os pequenos.

Mais importante do que uma criança estar linda, é ela estar confortável para brincar, dormir, sentar, enfim, se movimentar. Por isso alguns cuidados devem ser tomados e levados em consideração na hora de compra roupa para as crianças:

  • Uma prática interessante seria observar a relação das crianças com essas peças que são "eliminadas" por elas. Se são peças úteis como um chapéu de praia, substitua por um outro modelo, de outro tamanho, formato ou material, do contrário: não insista!

  • Ao pegar numa camiseta ou qualquer outra peça com estampa ou tecido diferente verifique se a mesma tem textura agradável, se incomodar você incomodará também seu filho;

  • Sempre verifique se peças com botões ou aplicações, estão bem costuradas pois as crianças podem arrancá-los e levá-los à boca;

  • Prefira sempre os tecidos de algodão ou que o contenha na composição, é a melhor opção para a pele transpirar melhor e garantir o maior conforto;

  • Roupas de festas são uma fofura, mas o que adianta uma criança linda e irritada com alguma coisa? Pense bem antes de colocar uma roupa com forro mal feito, que pinica, ou peças pouco maleáveis;

  • Se está calor demais, deixem os pequenos com o mínimo de roupa possível, eles também sentem calor;

  • E por fim, criança é criança e gosta de ser criança. Não pule obstáculos colocando peças de adulto nelas!

Lembrem-se sempre: criança precisa brincar, pular, deitar em qualquer lugar, agachar a qualquer momento, ou seja, precisa de conforto e liberdade para se movimentar.

Nenhum comentário:

Postar um comentário