quarta-feira, 18 de fevereiro de 2015

Carta de Apresentação de uma Mãe para o Mercado de Trabalho

Prezado Contratante,

Fiquei muito interessada pela vaga disponibilizada no site da empresa, por isso encaminho meu currículo para análise. Tenho dez anos de experiência na área em instituições de grande porte, duas formações acadêmicas, uma pós-graduação e uma especialização em faculdades de renome. Atuei em grandes projetos e como poderá ver em meu currículo, consegui conquistar excelentes resultados.

IMG_0408

Compartilho ainda uma conquista importante em minha vida, sou mãe de uma linda menina de quase dois anos chamada Manuela.

IMG_3576

Entendo que mesmo após ter lido minhas boas referências profissionais, ao saber que sou mãe, surgiu à dúvida: qual a sua disponibilidade de entrega para o trabalho? Então respondo com sinceridade:

“Precisarei faltar se meu filho ficar doente e irei me atrasar se sua babá ou escola tiver algum problema. Preciso sair do trabalho no horário e horas extras precisarão ser combinadas com antecedência para que eu possa me organizar. Viagens a trabalho não são impossíveis, mas também dependem de um aviso prévio e da disponibilidade de meus familiares. E por fim, informo que me ausentarei por algumas horas durante o ano para participar das reuniões e festas da escola do meu filho.”

Então, informo que estou disponível para o trabalho, mas não estarei dedicada exclusivamente para a empresa, sou uma excelente profissional e posso somar muito a sua equipe, porém sou mais que isso, sou mulher, mãe e esposa também.

Peço que olhe para nós mães com um olhar humanizado e não apenas com a visão do lucro e da rentabilidade. Exigir que alguém tenha que escolher entre família e carreira é cruel e pouco eficiente para o negócio, pois ao deixar de lado uma profissional como eu, vocês perdem as seguintes habilidades:

  • Gestão de conflitos – conseguir apartar discussões e brigas entre irmãos.
  • Gestão de tempo – atuo com cronograma reduzido e tenho que executar todas as minhas tarefas com excelência durante o curto tempo das sonecas do bebê.
  • Cronograma de atividades – gestão da rotina do bebê.
  • Negociação – para conseguir dar um banho, sair de casa, colocar uma roupa, dar uma refeição, tudo exige muita conversa.
  • Resiliência – o tempo de uma criança não funciona como os pais desejam, é preciso equilíbrio.
  • Paciência – é preciso não perder o controle sobre pressão.
  • Criatividade – para conseguir qualquer conquista é necessária a inovação constante.
  • Persistência – tentamos e falhamos, depois tentamos novamente sem desistir de nossos objetivos.

O tempo que estarei na empresa será otimizado da melhor forma possível, pois aprendi em meu dia a dia de mãe que com planejamento e organização é possível cumprir tarefas e oferecer ideias novas com destreza.

Tenho grande senso de responsabilidade, pois não trabalho apenas para as minhas conquistas pessoais, tenho uma família com a qual me preocupo e é por eles que busco meu sucesso. A ansiedade que me era peculiar como Geração Y, foi substituída pelo meu entendimento do que realmente é importante, achar um equilíbrio entre a profissional e a mãe.

Peço então, para sua empresa e para as demais uma oportunidade de mostrarmos que podemos sim ser excelentes profissionais e realizar grandes conquistas sem que isso demande uma relação de dedicação exclusiva que a médio e longo prazo não se sustenta.

Abram suas portas para nós, para que as mães e profissionais possam juntas com a empresa buscar uma forma de adaptar o mercado de trabalho para as necessidades dos dois lados, pessoa e instituição. O equilíbrio é a solução!

Um comentário:

  1. Adorei! Estou neste momento escrevendo uma carta de apresentação e minha filha tem exatamente essa idade 😉
    Não por acaso me identifiquei
    Abraços!

    ResponderExcluir