quarta-feira, 25 de fevereiro de 2015

Imperdível - JK Iguatemi recebe o primeiro Drive in Kids

O shopping JK Iguatemi vai organizar um evento super legal para os pequenos com idade entre 2 e 4 anos (quase chorei porque a Manu só tem 1 ano e 9 meses) Quem puder ir não deixe de aproveitar!

mickey

Nota da empresa:

O Shopping JK Iguatemi recebe nos dias 28 de Fevereiro e 1º de Março, a primeira edição do Drive-in Kids. O evento é realizado em parceria com Disney Junior, para crianças de 2 a 4 anos de idade.

A ideia é recriar os antigos autocines que eram muito comuns nas décadas de 60 e 70. As crianças terão a sensação de voltar no tempo e estar em um autêntico cine drive-in, para assistir ao filme dentro de seu próprio “carro”.

Durante o evento reservado para convidados, que acontece no sábado às 11h, as crianças terão a oportunidade de customizar os carrinhos, em uma oficina que acontece antes da exibição do filme “A casa do Mickey Mouse”. Após este horário, as sessões serão gratuitas, respeitando a ordem de chegada.

PROGRAMAÇÃO

SÁBADO

11h: Reservado apenas para Convidados: “A casa do Mickey Mouse”

14h: “Jake e os Piratas da Terra do Nunca”

15h: “Doutora Brinquedos”

16h: “Princesinha Sofia”

17h: “A casa do Mickey Mouse”

18h: “Doutora Brinquedos”

19h: “Jake e os Piratas da Terra do Nunca”

DOMINGO

14h: “Jake e os Piratas da Terra do Nunca”

15h: “A casa do Mickey Mouse”

16h: “Princesinha Sofia”

17h: “Doutora Brinquedos”

18h: “A casa do Mickey Mouse”

Serviço

Shopping JK Iguatemi

Avenida Presidente Juscelino Kubitschek, 2041 - Itaim Bibi

Jardim JK – 3º Piso

Dias: 28 de Fevereiro e 1º de Março

Horário: Sábado das 11h às 19h e Domingo das 14h às 18h

Entrada: Franca

terça-feira, 24 de fevereiro de 2015

Dislexia – o bicho papão das mães

Esses dias eu estava conversando com uma mãe de um menino de 4 anos que me contava como o seu filho era desatento e não conseguia acompanhar o ritmo de aprendizado dos amiguinhos. Ela estava apavorada, pois suspeitava que seu filho tivesse dislexia. 

Eu fiquei intrigada, confesso que achei meio cedo para saber se a criança tinha alguma dificuldade de aprendizado, mas não questionei, pois pouco entendo do assunto. Porém, como mãe blogueira é curiosa, fui tentar descobrir o que é essa dislexia e quais sintomas podem indicar se uma criança passa por esse problema.

Einstein

Em uma matéria do hospital São Luiz, o especialista entrevistado indica que o baixo desempenho escolar, ou seja, dificuldade de alfabetização e de concentração pode ser um sinal de dislexia. Ele até alerta para o perigo dos pais e professores acharem que o aluno é desinteressado e preguiçoso quando pode haver um distúrbio de aprendizado.

Resumidamente, dislexia é:

“A dislexia é um distúrbio do funcionamento do cérebro para todo processamento linguístico. Devido a falhas nas conexões cerebrais, o disléxico não consegue associar o símbolo gráfico e as letras ao som que elas representam, o que dificulta à escrita, leitura e soletração”, diz Paulo Breinis, neurologista do Hospital São Luiz Jabaquara e Hospital da Criança.

O quadro de dislexia só identificado a partir dos oito anos de idades com a ajuda de testes aplicados por profissionais de várias áreas como neuropsicólogo, pedagogo, psicólogo e fonoaudiólogo. Porém, é possível ficar atento a algumas características como atraso na fala, má coordenação motora, memória curta, imaturidade e desinteresse por livros e jogos de raciocínio como quebra-cabeça. Os pais e professores podem já começar a ficar atentos e conversar com especialistas que poderão auxiliar melhor a lidar com o caso até conseguirem realizar o teste.

Por se tratar de uma doença genética, a dislexia não tem cura. O que existe é a conscientização do problema e compreensão das limitações. “O tratamento da síndrome não é feito com medicação, mas sim com acompanhamento de pedagogos e fonoaudiólogos. Esses profissionais ensinam a criança a escrever e ler de acordo com suas restrições”, explica Paulo Breinis.

Nenhuma mãe quer que seu filho enfrente nenhuma dificuldade, mas a dislexia não é uma condição limitante, seu filho poderá ter um futuro brilhante, como um grande estudioso até, mesmo que seu tempo de aprendizado seja diferente. Conheça alguns disléxicos famosos:

  • Whoopi Goldberg
  • Agatha Christie (a escritora)
  • Tom Cruise
  • Albert Einstein
  • Charles Darwin
  • Vincent Van Gogh

Fonte: http://blog.saoluiz.com.br/

http://educacao.uol.com.br/album/2013/07/23/conheca-dislexicos-famosos.htm#fotoNav=9

quinta-feira, 19 de fevereiro de 2015

Um Recado para as Mães de Meninos

Amigas, antes de tudo eu peço desculpa pela intromissão em suas vidas e garanto que não tenho a pretensão de dizer como vocês devem criar seus filhos, mas gostaria de dar algumas sugestões.

Sabe tudo aquilo que reclamamos que os papais não fazem? Trocar fralda, dar banho, fazer uma comida, dar comida, lavar uma roupa depois de uma fralda vazada, levar no pediatra, entre outros exemplos? Podemos mudar esse cenário ao ensinar nossos pequenos a serem pais desde pequenos.

Leo-Tati-Gustavo-1ano-62

Foto: Josi Guimarães – www.naminhalente.com

Vejo com frequência o menino sendo ensinado a ser “macho”, mas não percebo nenhum direcionamento para a paternidade, nenhuma dica, nada. Ensina-se masculinidade, esportes, fala-se sobre carros, mulheres, profissão e a responsabilidade de prover o lar, mas o cuidado prático com uma criança não é assunto da criação de um pequeno homem.

Parece que existe um tipo de verdade, a mulher cuida do filho e o homem paga as contas e enche a dispensa. Será que seria esse o resumo de uma família, cada um com a sua responsabilidade? Não, eu não acho que é por ai.

Para ensinar um pequenino a ser pai é preciso romper o paradigma de que existem funções que são da mãe e outras que são do pai. Todos são responsáveis por tudo!

Desde novas, as meninas são ensinadas a ajudar a mãe a limpar a casa, cuidar dos irmãos pequenos ou treinar a maternidade em suas bonecas. Já os meninos são cuidados por suas mães e irmãs, ajudam pouco ou nada dentro de casa e não tem nenhum direcionamento sobre o cuidado com um bebê.

Divida por igual às atividades da casa, meninos e meninas devem ter funções e responsabilidades similares. Se você tivesse uma filha menina ela ajudaria a lavar roupa? Então, ensine seu filho da mesma forma a ser independente, a se virar do limpar ao cozinhar. Não deixe esse preconceito bobo de que a casa é responsabilidade da mulher tomar conta da realidade do seu lar.

Caso você tenha uma empregada, deixe seu filho pelo menos responsável pelo próprio quarto e ensine a cuidar das suas coisas. No futuro ele será certamente um homem mais seguro e perceberá sua casa e filhos como sua responsabilidade.

Outro avanço é deixar os meninos brincarem de “papais” com bonecos ou bonecas, onde eles possam interpretar a vida prática e aprender que também são responsáveis por seus próprios filhos no futuro. Além de se divertir eles certamente levarão esse aprendizado para a vida toda. Só uma dica, ninguém vira gay porque brincou com uma boneca se esse for o seu receio.

Eu acredito de verdade que os papais de hoje atuam muito mais na casa que os do passado, mas ainda estamos longe de dividir o cuidado de um filho com eles. Por isso, mamães de meninos, vocês tem na mão a oportunidade de criar melhores pais para o futuro. Acho que mais que uma oportunidade é uma missão vital para a construção de uma sociedade de mais igualdade.

quarta-feira, 18 de fevereiro de 2015

Carta de Apresentação de uma Mãe para o Mercado de Trabalho

Prezado Contratante,

Fiquei muito interessada pela vaga disponibilizada no site da empresa, por isso encaminho meu currículo para análise. Tenho dez anos de experiência na área em instituições de grande porte, duas formações acadêmicas, uma pós-graduação e uma especialização em faculdades de renome. Atuei em grandes projetos e como poderá ver em meu currículo, consegui conquistar excelentes resultados.

IMG_0408

Compartilho ainda uma conquista importante em minha vida, sou mãe de uma linda menina de quase dois anos chamada Manuela.

IMG_3576

Entendo que mesmo após ter lido minhas boas referências profissionais, ao saber que sou mãe, surgiu à dúvida: qual a sua disponibilidade de entrega para o trabalho? Então respondo com sinceridade:

“Precisarei faltar se meu filho ficar doente e irei me atrasar se sua babá ou escola tiver algum problema. Preciso sair do trabalho no horário e horas extras precisarão ser combinadas com antecedência para que eu possa me organizar. Viagens a trabalho não são impossíveis, mas também dependem de um aviso prévio e da disponibilidade de meus familiares. E por fim, informo que me ausentarei por algumas horas durante o ano para participar das reuniões e festas da escola do meu filho.”

Então, informo que estou disponível para o trabalho, mas não estarei dedicada exclusivamente para a empresa, sou uma excelente profissional e posso somar muito a sua equipe, porém sou mais que isso, sou mulher, mãe e esposa também.

Peço que olhe para nós mães com um olhar humanizado e não apenas com a visão do lucro e da rentabilidade. Exigir que alguém tenha que escolher entre família e carreira é cruel e pouco eficiente para o negócio, pois ao deixar de lado uma profissional como eu, vocês perdem as seguintes habilidades:

  • Gestão de conflitos – conseguir apartar discussões e brigas entre irmãos.
  • Gestão de tempo – atuo com cronograma reduzido e tenho que executar todas as minhas tarefas com excelência durante o curto tempo das sonecas do bebê.
  • Cronograma de atividades – gestão da rotina do bebê.
  • Negociação – para conseguir dar um banho, sair de casa, colocar uma roupa, dar uma refeição, tudo exige muita conversa.
  • Resiliência – o tempo de uma criança não funciona como os pais desejam, é preciso equilíbrio.
  • Paciência – é preciso não perder o controle sobre pressão.
  • Criatividade – para conseguir qualquer conquista é necessária a inovação constante.
  • Persistência – tentamos e falhamos, depois tentamos novamente sem desistir de nossos objetivos.

O tempo que estarei na empresa será otimizado da melhor forma possível, pois aprendi em meu dia a dia de mãe que com planejamento e organização é possível cumprir tarefas e oferecer ideias novas com destreza.

Tenho grande senso de responsabilidade, pois não trabalho apenas para as minhas conquistas pessoais, tenho uma família com a qual me preocupo e é por eles que busco meu sucesso. A ansiedade que me era peculiar como Geração Y, foi substituída pelo meu entendimento do que realmente é importante, achar um equilíbrio entre a profissional e a mãe.

Peço então, para sua empresa e para as demais uma oportunidade de mostrarmos que podemos sim ser excelentes profissionais e realizar grandes conquistas sem que isso demande uma relação de dedicação exclusiva que a médio e longo prazo não se sustenta.

Abram suas portas para nós, para que as mães e profissionais possam juntas com a empresa buscar uma forma de adaptar o mercado de trabalho para as necessidades dos dois lados, pessoa e instituição. O equilíbrio é a solução!

Inspirações e dicas de Looks para as meninas no verão

No verão as crianças precisam estar mais leves, fresquinhas e livres (assim como nós!).

11 - kids-verao-vestidoestampado

Esse post traz looks de verão para as mamães (e papais) de meninas se inspirarem no dia a dia. As mamães (e papais) de meninos também já puderam contar com uma ajudinha aqui do Papo nesse post aqui!

Vamos às inspirações para deixar as meninas ainda mais fofas e na moda nesse verão:

  • Chapéu de Palha: tanto faz se vocês moram na praia ou na cidade, antes de mais nada vocês moram em um país tropical, ou seja, chapéu de palha está liberado e está super na moda! Já pensou planejar um pic-nic nessas férias? Não esqueça do chapéu de palha! ;)

  • 1 - kids-verao-chapeupalha  2 - kids-verao-chapeupalha2

  • Floral nunca sai de moda, e é perfeito para fugir um pouco das temáticas super  infantis. Um look doce e meigo.

  • 3 - kids-verao-floral  4 - kids-verao-floral2

  • A peça hit desse verão para os adultos nunca saiu do guarda roupa infantil, o macaquinho. Aproveite a temporada e adquira uns bem levinhos lisos ou estampados, perfeitos para um passeio no parque, para ficar em casa, para festinhas… São comportados, confortáveis e descolados!

5 - kids-verao-macaquinho1  6 - kids-verao-macaquinho2

  • Dias muito quentes pedem roupas frescas, as roupas claras não só dão a impressão como são realmente as mais leves pois não absorvem o calor como as roupas escuras, vejam esses modelinhos:

7 - kids-verao-roupaclara1  8 - kids-verao-roupaclara2

  • Tênis é legal em qualquer estação e perfeitos quando o passeio terá bastante caminhada. No verão é legal combinar com peças super femininas como saias e blusinhas fofas para dar aquele ar de menina levada da breca!

9 - kids-verao-tenis  10 - kids-verao-tenis2

quinta-feira, 12 de fevereiro de 2015

Mudança com criança - dicas de sobrevivência

Como muitos de vocês sabem, faz um mês que mudamos de cidade e estado, e viemos parar em Vitória, no Espírito Santo, de mala e cuia. Foi um processo longo desde decidir vir, até mudar definitivamente e começar a vida por aqui. Muitas listas de coisas a fazer rolaram, e pensar em como fazer tudo isso com a Alice a tiracolo foi um enorme desafio.

IMG_8246
A casa antiga, vazia

Abaixo listo para vocês algumas das primeiras providências que tomamos, para que tudo fluísse de maneira mais fácil e normal para ela. Afinal, se mudanças já são difíceis para nós que entendemos o que está acontecendo, imagine para os pequenos que ainda estão se adaptando ao mundo, né?!

Muitas conversas, a mudança sempre foi clara
Desde o dia em que decidimos mudar explicamos para a Alice que teríamos uma casa nova, na praia. Falávamos disso o tempo todo, ensinamos ela a contar para as pessoas que iria morar na praia. A ideia era que essa situação fosse familiar para ela, tão familiar que ela pudesse estranhar o mínimo possível. Explicamos cada detalhe, que teria uma casa nova, um quarto novo, amigos novos, escola nova, e que seria muito bom e divertido.

Avisamos os envolvidos
Fazer com que todos participem desse processo também ajuda muito. Avisamos então na escola que não faríamos a rematrícula, e explicamos o motivo, para trabalharem esse assunto e essa despedida com ela também. Assim também foi com a família, principalmente a que não nos vê sempre, e quer se despedir. Para nós sempre foi primordial a Alice sentir que a mudança era algo bom, por mais que algumas pessoas chorassem na hora de dar tchau.

Fizemos pequenas mudanças antes
Sabíamos que ter uma casa nova poderia não ser fácil para ela, optamos então por, meses antes, já trocar o berço para caminha, para ela ter uma mudança a menos pela frente. Na casa nova ela teria a cama a qual já estava habituada e esperávamos que isso ajudasse no processo. Ela adorou o quarto novo, e parece que a estratégia foi mesmo um sucesso.

O suporte da família é essencial
Nem sempre temos como ter a família por perto, mas se tiver, não hesite em pedir ajuda. Para nós foi fundamental ter a ajuda da minha mãe, principalmente nos primeiros dias. Ela ficava com a Alice o dia inteirinho para conseguirmos conseguir colocar a casa em ordem, e como a Alice já está acostumada a ficar com ela, era só festa. Se você não tiver como contar com alguém da família ou amigos, é importante alinhar suas expectativas e saber que não vai dar para colocar a casa em ordem em pouco tempo, pois a criança precisa se habituar ao novo espaço, precisa de horas com você, e mudar a rotina dela drasticamente não vai resolver nada.

Transforme a “casa nova” em um chamariz
Isso foi o que mais fizemos. Tudo o que comprávamos ou tudo o que eu embalava dizia: é para a casa nova. Ela ficou ansiosa pela casa nova, e quando chegamos ela estava muito feliz, correndo para todos os lados, querendo apreciar cada cantinho. Na noite que nossa mudança saiu da casa antiga, ela chegou em casa e perguntou assustada: “Cadê minhas coisas?”. Quando expliquei, mais uma vez, que estariam todas na casa nova e que chegaríamos lá em alguns dias, ela se acalmou. É claro que perguntou sobre suas coisas mais uma dezena de vezes, mas aí ela mesma já respondia: “tá na casa nova, né mamãe?!”.

IMG_8223

Por aqui o que posso dizer da experiência é que foi mais simples do que eu esperava. Alice sempre se adaptou bem a tudo e considerando a quantidade de mudanças que fizemos na vidinha dela de uma só vez, ela tem se saído muito bem. Ela mudou de casa e de escola ao mesmo tempo e ainda desfraldou. O desfralde parecia que nào daria certo nos primeiros dias, mas no quarto já estava tudo sobre controle. Na escola ela ainda tem chorado um pouco pela manhã, após uma semana de adaptação. E em casa as vezes dá um pouco de trabalho para dormir, quer nossa presença no quarto dela, sendo que em SP ela já dormia sozinha no quarto.

E vocês, têm mais dicas sobre fazer uma grande mudança com crianças? Conta pra gente!

quarta-feira, 11 de fevereiro de 2015

A maternidade me fez “pagar a língua”

Eu fiquei pensando em outro título, mas não consegui, a verdade é essa mesma, diariamente me vejo em situações em que eu faço muito do que disse que não faria ou mesmo que afirmei que faria e não faço.

Não sei você, mas antes de ser mãe eu sempre ACHEI muita coisa do jeito que os outros criavam os seus filhos, sempre disse a velha e batida frase “quando eu tiver filhos...” e ai terminava com um exemplo de sabedoria pedagógica extremamente furado, pois na prática não existe jeito certo de se criar um filho.

IMG_1191

Esses dias comecei a fazer uma lista mental de tudo o que faço completamente ao contrário do que havia dito:

  • Minha filha não vai usar rosa – eu nunca gostei de usar rosa, mas doce ilusão, descobri que o mundo do amarelinho e branco é extremamente reduzido, você acha pouca roupa nesse estilo. Você ainda pode comprar uma lilás vez ou outra, mas no final você vai acabar comprando roupas rosa.
  • Nunca vou dar uma Barbie para Manu – sempre achei a boneca a personificação do culto a beleza da loira peituda (tenho essas neuroses rs), mas depois que ela ganhou uma e começou a se divertir com a boneca, eu confesso que EU comprei outra para ela... tsssshhhhh (barulho da minha língua queimando rsrsrs).
  • Não vou chama-la de princesa – sou meio neurótica gente, sempre achei que essa coisa de princesa era uma forma de fazer a mulher achar que ela precisa esperar por um homem para ser salva e que a única coisa que ela tinha que almejar na vida era um príncipe, ou seja, um marido. Já fiz milhares de discursos sobre isso e a pseudo feminista aqui chama a filha de princesa e brinca de conto de fadas.
  • Ela não vai ouvir Xuxa – tshhhhh (sentiu o cheiro de churrasco de língua?) eu imaginava que a criança até uma determinada idade só fazia o que a gente queria, mas no auge dos seus 1 ano e 8 meses ela apontou para a TV e disse “música, Ilalaliê”, pedindo que eu colocasse essa música. Depois disso já desencanei e comecei a ouvir Xuxa só para Baixinhos... mas ainda não gosto não rs...
  • Não vou deixa-la gostar de palhaços – foi algo parecido com a Xuxa, um dia passou dois palhaços na TV e ela disse “Patati Patata” na maior alegria, bateu palma e pulou. Acho que ela deve ter visto ou ouvido na escola, mas ela curtiu tanto que ficou mega animada. A neurose nesse caso é porque eu tenho medo de palhaço rs
  • Ela não vai chupar chupeta – depois de algumas noites sem dormir e eu achei a chupeta a invenção do século!
  • Vou ser uma mãe durona – eu tento, mas ai ela sorri e faz aquela carinha do Gato de Botas e já era a mãe rígida vai para o saco rs...

Eu não coloquei aqui aqueles exemplos do tipo "meu filho não vai se jogar no chão", "não vai gritar na rua"... porque acho que toda mãe percebeu que tudo o que falamos mal de outras mães antes da maternidade a gente paga dobrado na nossa vez né rs...

No fim, esse post foi mais uma brincadeira com essas pequenas verdades que a gente inventa, mas que na prática não funcionam. O que vale mesmo é entender que nossos filhos são pessoas únicas e que as escolhas são deles

terça-feira, 10 de fevereiro de 2015

5 dicas de lanchinhos saudáveis para a festa das crianças

Hoje em dia se fala como nunca sobre alimentação saudável para bebês e crianças. Minha avó continua batendo o pé de que isso é frescura, e que bom mesmo é colocar fubá na mamadeira, mas a realidade é que os tempos são outros.

Petiscos02

Inevitavelmente temos em casa crianças que comem e adoram muito mais frutas, arroz integral, legumes, verduras, e não fazem a menor questão de comer chocolate ou tomar refrigerante, muitas vezes por nem saberem o que é.

Que tal então dar uma forcinha para os papais que não pensaram nisso antes de sair de casa, e oferecer algumas opções de petiscos saudáveis na festa de aniversário do seu pequeno? O cardápio certamente vai ficar diversificado, colorido, nutritivo e vai agradar, e muito, as crianças!

Cookies integrais
Assar cookies com as crianças pode ser uma atividade super divertida, mas se às vésperas da festa o tempo for curto, existem excelentes opções até mesmo no mercado, e são muito mais saudáveis do que os biscoitos cheios de chocolate que costumamos servir.

Petiscos04

Biscoito de polvilho
Não é o alimento mais saudável da lista (por conter muito sódio), mas é uma excelente alternativa às batatinhas fritas ou qualquer outro salgado frito que poderia ser oferecido à criança. Fique atento na hora de comprar para escolher um sem gordura trans. Ou você pode fazer o biscoito caseiro, que é ainda mais saboroso.

Sanduíches de bolacha de água e sal
Também têm sódio, mas ainda é uma opção mais saudável que outros snacks. Você pode fazer sanduichinhos de bolacha recheando com patê caseiro e queijo. Para o patê, lembre-se de trocar a maionese por ricota ou creme de leite com baixo teor de gordura. Vai ficar ainda mais leve.

Salada de frutas no vidro
A salada de fruta é uma sobremesa adorada, e ao escolher as frutas certas você garante um sabor sem igual. As dicas são: opte por uvas sem semente; a melhor manga para saladas é a palmer, que não tem fiapinhos; use frutas doces e cítricas, para equilibrar o sabor; banana e maçã não são boas opções, pois ficam escuras muito rapidamente. Por aqui a combinação preferida é: melão, manga, morangos, uvas thompson, kiwi e mirtilos.

Petiscos05

Pink lemonade e limonada tradicional
Para refrescar, você pode servir limonada em duas versões: a tradicional e uma cor-de-rosa. A Pink Lemonade (ou limonada cor de rosa) certamente vai ser a atração da festa. Para preparar é só acrescentar suco de morango à limonada tradicional. Ah, você também pode usar limões sicilianos que são menos ácidos e mais doces, e deixam a limonada mais saborosa.

Alimentação x amamentação/gestação – o que pode e o que não pode?

É muito importante que toda mamãe na fase de gestante ou de amamentação tenha um cuidado redobrado com o que come ou bebe. Não existe uma proibição total, mas sabemos que as consequências por saciar um desejo podem ser uma intoxicação alimentar, alteração na quantidade de leite, gerar cólica no bebê...

Andressa (64)

Então, vamos lembrar algumas coisas que devemos ter atenção:

  • Carnes e Peixes Crus – inclui o mal passado. Risco: não interfere na formação do bebê, mas é como se brincássemos de roleta russa, vai que a carne está contaminada com bactérias e protozoários, a gestante se arrisca a ter uma intoxicação alimentar (sem poder tomar remédios) ou uma toxoplasmose, super arriscado para o bebê.
  • Mariscos: como eles são consumidos crus ou mal cozidos, já devem ser evitados pelos motivos que já sabemos.
  • Café e bebidas energéticas. Risco: muitos médicos permitem o consumo de uma xicara (não um balde viu rs) de café por dia, porém se for possível evitar é melhor. O café como os energéticos alteram os nossos batimentos cardíacos e como já estamos com o coração batendo mais forte por causa do sangue extra em nosso organismo, aumenta o risco de elevar a pressão arterial da grávida.
  • Chás – evite os seguintes:
    • Canela – pode provocar contração do útero e é considerada por muitos um abortivo.
    • Hortelã – diminui a produção de leite.
    • Boldo – possui efeitos tóxicos devido à presença do ascaridol, um abortivo.
    • Chá de Arruda – abortivo
    • Cipó-mil-homens – abortivo
    • Erva-de-bicho – abortivo
    • Buchinha do Norte – abortivo
    • Confrei – abortivo
    • Espirradeira – abortivo
    • Melão-de-são-caetano – abortivo
    • Erva-de-santa-maria – abortivo
    • Pinhão-de-purga ou Pinhão-de-paraguaio – abortivo
    • Poejo – abortivo
    • Losna- abortivo
    • Chá Preto – pode causar mal-estar e palpitações do coração.
    • Chá Verde - pode causar mal-estar e palpitações do coração.
    • Chá Branco – pode causar mal-estar e palpitações do coração.
    • Chá Mate – pode causar mal-estar e palpitações do coração.
    • Banchá – pode causar mal-estar e palpitações do coração.
  • Álcool: pode causar má formação no feto, por isso seu consumo não é indicado. Alguns médicos permitem pequenas doses em comemorações ou para saciar o desejo da mamãe.
  • Embutidos: alimentos como presunto, salsicha, mortadela... são cheios de conservantes e a gestante fica mais suscetível a ter uma alergia aos compostos químicos destes produtos.
  • Ovos: por causa da salmonela que pode causar quadros sérios de intoxicação alimentar. Mas a orientação não é não comer e sim nunca com a gema mole ou mal cozida. Os ovinhos mexidos, omeletes e tudo mais estão liberados.
  • Queijos e Leites não pasteurizados: evitando o risco de contaminação por bactérias.

Fontes: http://www.paisefilhos.com.br/gravidez/chas-que-a-gravida-nao-pode-tomar-e-voce-nem-sabia

http://bebe.abril.com.br/materia/o-que-a-gravida-nao-deve-comer

segunda-feira, 9 de fevereiro de 2015

Como escolher uma fantasia de carnaval para bebê

Se seu filho já vai para escolinha desde novinho, certamente você recebeu uma cartinha pedindo para mandar uma fantasia para ele usar nesse carnaval para o “bailinho” da escola. Não tem coisa mais fofa do que ver aquele bebezinho ou aquela criancinha linda todo fantasiado, se divertindo com os amiguinhos e curtindo uma das suas primeiras festinhas.

IMG_4669

Porém, a liberdade de usar aquela fantasia toda composta e cheia de acessórios fica só para os maiores, os pequenos precisam de roupinhas criativas, porém simples e confortáveis. Seguem algumas dicas para te ajudar na escolha da alegoria:

  • Roupas leves, como é uma época de muito calor, de preferência aos tecidos que permitam que a pele do seu filho “respire”.
  • Cuidado com o acabamento interno: verifique se ela não tem nada que possa incomodar ou pinicar a pele da criança.
  • Roupas confortáveis: melhor opção para deixar a criança à vontade para brincar.
  • Quando a Manu era bebê eu lavava sempre a roupinha nova antes do primeiro uso.
  • Cuidado com os adereços que podem se soltar e podem ser facilmente colocados na boca, o ideal é optar por peças únicas.
  • Adereços de mão com varinhas, espadas e por ai vai, são lindos, mas para os pequenos por ser um convite a um acidente com eles mesmos ou machucar um amiguinho.

São dicas simples, mas importantes na hora de acertar na escolha da fantasia do seu filho nesse carnaval. Você já sabe qual será a fantasia do seu pequeno? Conta para gente!!!

Novidade: O Clube Leiturinha agora também é digital

Eu sempre fico procurando novidades legais que estejam alinhadas e antenadas com os novos hábitos das mamães e de seus filhos. Não podemos negar que o mundo digital é hoje uma realidade, pagamos contas, assistimos filmes, trabalhamos, nos relacionamos com outras pessoas – entre outros, tudo por meio dessa tecnologia que já nem é mais tão nova assim.

Leiturinha

Fato é que procuramos oportunidades de tornar nossa vida mais simples e ágil, por isso eu achei muito legal esse novo serviço oferecido pelo pessoal do Leiturinha, uma biblioteca digital. Já pensou que legal poder levar para onde você for diversos títulos que podem encantar o seu pequeno?

A ideia é muito parecida com o Clube de Leitura tradicional que você recebe os livros em casa, porém você não tem planos diferentes, você paga uma mensalidade única de R$18,90 e tem acesso ilimitado a todo o acervo do site.

Gostou? Ficou na dúvida? Que tal testar por 7 dias grátis para ver se gosta? CLIQUE AQUI nesse link e aproveite essa semana que o Leiturinha te oferece para conhecer o serviço e depois conta para gente se gostou. Eu estou amando!

sexta-feira, 6 de fevereiro de 2015

Aprovado: mOmma – Lansinoh

Essa semana o Papo Maternidade ganhou um presentão da Lansinoh, dois copos e seus acessórios, um kit completinho. Eu já conhecia os produtos mOmma – Lansinoh mas nunca havia testado nenhum e essa foi a minha oportunidade, minha não, da Manu testar rs...

Eu amei os copinhos e resolvi fazer um vídeo para poder contar para vocês como foi a minha experiência, como não sou muito profissional, não estranhem as gaguejadas hehehe. Além disso, eu não sabia se a pronuncia era como se escreve já que a marca é italiana, mas resolvi falar dessa forma…

CLIQUE AQUI E ASSISTA AO VÍDEO Alegre

Informações dos Produtos:

COPO DE TRANSIÇÃO ANTIVAZAMENTO COM ALÇAS

IMG_1300

· Alças macias e aderentes

· Bico 100% de silicone

· Tampa de proteção segura e higiênica

· É possível colocar o copo no microondas, contanto que ele esteja aberto sem a parte de cima

· Livre de Bisfenol A ou seja BPA Free

· Pode ser usado na máquina de lavar louças

· Indicado para crianças maiores de 6 meses

COPO ANTIZAVAMENTO COM CANUDO RETRÁTIL

IMG_1298

· Sistema retrátil guarda o canudo dentro da tampa

· Canudo 100% de silicone

· Seguro e higiênico

· É possível colocar o copo no microondas, contanto que ele esteja aberto sem a parte de cima

· Disponível nas cores verde e laranja

· Livre de Bisfenol A ou seja BPA Free

· Pode ser usado na máquina de lavar louças

· Indicado para crianças maiores de 18 meses

Eu recebi ainda bicos e canudos extras que são super úteis já que com o tempo esses acessórios precisam ser trocados e uma escova no formato das mamadeiras, que tornaram a higienização bem mais prática.

IMG_1301

 

quinta-feira, 5 de fevereiro de 2015

Etiquetas escolares da Tuty para a Alice

A Tuty lançou na semana passada um produto muito bacana! São os kits DIGITAIS de Etiquetas Escolares, feitos especialmente para as mamães que querem deixar o material dos pequenos personalizado, gastando pouco.

Trata-se de um arquivo digital, que pode ser adquirido em 12 diferentes temas. O cliente que fizer o pedido recebe o arquivo por email assim que o pagamento é aprovado, e já pode fazer o download e começar a usar na mesma hora. Com o arquivo em PDF ele recebe também as fontes usadas para personalizar as etiquetas com o nome da criança e a série, assim todo o material ficará identificado, e super charmoso.

 

Eu não perdi tempo, e tratei logo de fazer etiquetas para o uniforme novo da Alice, que começou na escolinha na cidade nova essa semana! Escolhi o kit com o tema Fadas, e fiz tags para a mochila e transfer para roupa.

Etiquetas escolares-8664

Para as tags eu escolhi a etiqueta de 9 x 6 cm, escrevi o nome e a turma dela, imprimi em papel branco, plastifiquei e coloquei um ilhós. Eu tenho a máquina de plastificar e a prensa de colocar ilhós em casa, mas você pode plastificar na papelaria e fazer um furinho com um furador alicate, ou com aquele de fazer furo de fichário, sabe? Dá super certo!

Para os uniformes usei a etiqueta de 4 x 1 cm, coloquei o nome da Alice e imprimi em papel transfer, que comprei na Kalunga. O indicado é que o transfer seja colado somente em tecido 100% algodão. O uniforme da Alice não é de algodão, mas resolvi arriscar e testar e deu super certo, pelo menor por enquanto. Na hora de imprimir, não esqueça de espelhar a imagem, para ficar “ao contrário”.

Etiquetas escolares-8735  Etiquetas escolares-8737

 

Etiquetas escolares-8738  Etiquetas escolares-8739

 

Etiquetas escolares-8740

Com o ferro quente e a seco, naquele modo que não solta vapor de água, passe fazendo movimentos circulares sobre a etiqueta na roupa por cerca de 1 minuto. Como não era algodão, fiquei com medo e passei entre 30 e 40 segundos apenas. Depois espere o tecido esfriar totalmente e retire o papel protetor. Prontinho! Ficam lindas como as da foto aí em cima.

Como não sei quantas lavagens vai durar e já ouvi que o transfer não é lá essas coisas, guardei todas as etiquetas que sobraram em um saquinho, e assim que essas ficarem ruins, já posso substituir tudo, sem gastar mais nada.

Etiquetas escolares-8741

Ah, e o arquivo ficou guardadinho, para usar em outros materiais ao longo do ano. O mais legal do arquivo digital é isso: posso imprimir quando e o quanto eu quiser.

Vem fazer a personalização do material do seu filho também! Os kits estão disponíveis aqui: http://www.tuty.com.br/Categoria.aspx?i=148.

quarta-feira, 4 de fevereiro de 2015

La Condesita – fofura em forma de roupinhas para meninas e meninos

Gente! Há alguns dias em uma feira de empreendedores, nós tivemos a oportunidade de conhecer uma marca para crianças muito linda, com roupinhas com carinha de outros tempos mas moderna ao mesmo tempo, na hora baixou a consumista e a Alice e a Manu ganharam roupinhas novas para seus guarda-roupas.

Como nos apaixonamos, fomos conhecer a marca mais a fundo e ficamos mais encantadas ainda com a proposta. A La Condesita, é uma marca de roupas infantis para crianças de 3 meses a 6 anos e que vem justamente com essa proposta de roupas com carinha do passado, mas super antenadas com as novas tendências da moda. É amor e carinho em forma de roupa gente, olha só esses modelinhos:

La Condesita menino 1_1

La Condesita menino1_2

La Condesita menina 1_1-horz

La Condesita menina 1_2-horz

O principal para toda mamãe é que as roupas tenham qualidade, bom acabamento e que sejam confortáveis, já que criança precisa ser livre para se divertir. Essa fase da vida é linda, cheia de magia e imaginação, por isso nossos filhos não precisam ser mini adultos e o Papo Maternidade acredita em marcas que tratam criança como criança, como faz a La Condesita.

Se você também gostou, CLIQUE AQUI e visite a loja virtual da loja, eles entregam para todo o Brasil.

Cuidados ao comprar roupas para as crianças

Por Josi Guimarães

Muitas vezes colocamos nas crianças aquilo que achamos bonito, não necessariamente aquilo que elas gostam de vestir, mesmo porque é muito difícil saber a opinião de uma criança com relação a uma peça de roupa, elas ainda não compreendem certos tipos de incômodos. Sentem-se desconfortáveis, mas não sabem com o que de fato.

Somente a partir dos 2 anos (mais ou menos) a criança começa a desenvolver habilidades sensoriais, visuais e olfativas para associar objetos e o que esses representam para elas e assim começando a ter influência nas decisões de compra dos pais.

Será que aquele sapatinho realmente sempre cai ou ele é "eliminado" pela criança por algum incômodo? Qual será o verdadeiro motivo que uma criança não deixa um chapéu na cabeça? Já tentou outro chapéu? Quando uma criança berra para trocar de roupa é porque ela não quer trocar de roupa ou porque aquela roupa x traz uma memória negativa?

Alice-2anos-festa-10

Nenhuma dessas perguntas tem uma resposta, na verdade são apenas pensamentos que acredito que devem ser levados em consideração pelos pais na hora de escolher uma peça de roupa para os pequenos.

Mais importante do que uma criança estar linda, é ela estar confortável para brincar, dormir, sentar, enfim, se movimentar. Por isso alguns cuidados devem ser tomados e levados em consideração na hora de compra roupa para as crianças:

  • Uma prática interessante seria observar a relação das crianças com essas peças que são "eliminadas" por elas. Se são peças úteis como um chapéu de praia, substitua por um outro modelo, de outro tamanho, formato ou material, do contrário: não insista!

  • Ao pegar numa camiseta ou qualquer outra peça com estampa ou tecido diferente verifique se a mesma tem textura agradável, se incomodar você incomodará também seu filho;

  • Sempre verifique se peças com botões ou aplicações, estão bem costuradas pois as crianças podem arrancá-los e levá-los à boca;

  • Prefira sempre os tecidos de algodão ou que o contenha na composição, é a melhor opção para a pele transpirar melhor e garantir o maior conforto;

  • Roupas de festas são uma fofura, mas o que adianta uma criança linda e irritada com alguma coisa? Pense bem antes de colocar uma roupa com forro mal feito, que pinica, ou peças pouco maleáveis;

  • Se está calor demais, deixem os pequenos com o mínimo de roupa possível, eles também sentem calor;

  • E por fim, criança é criança e gosta de ser criança. Não pule obstáculos colocando peças de adulto nelas!

Lembrem-se sempre: criança precisa brincar, pular, deitar em qualquer lugar, agachar a qualquer momento, ou seja, precisa de conforto e liberdade para se movimentar.

terça-feira, 3 de fevereiro de 2015

Dicas de Segurança na Internet – Cuidado com suas Fotos

Depois do caso de ontem, daquele perfil absurdo onde um homem postava fotos de mães amamentando e fazia comentários com conotação sexual, achei que seria importante retomar um post que eu já havia feito sobre segurança digital de nossas imagens e informações.

IMG_1123

Eu sei que todos adorariam ser livres para postar suas imagens amamentando ou de nossos filhos em momentos de diversão, mas infelizmente existe todo tipo de gente na internet e nem todas são do bem. É preciso ter cuidado, por isso algumas dicas importantes:

  1. Não poste fotos onde a criança apareça nua;
  2. Não poste fotos da criança de calcinha ou cueca ou de perninhas abertas onde apareçam essas peças;
  3. Não tire fotos que mostrem seu endereço, evite placas, pontos de referência ou mesmo falar alguma informação;
  4. Não tire fotos mostrando objetos de valor – a imagem pode chamar atenção para os bens materiais da família;
  5. Não tire fotos do seu filho com uniforme escolar ou na escola – isso pode ser usado por bandidos em um caso de sequestro;
  6. Não dê check in em nenhum app com sua localização exata – mesmo caso anterior;
  7. Evitem fotos que possam gerar constrangimentos do seu pequeno (ele no banheiro, por exemplo);
  8. Não divulguem fotos em alta resolução – façam ainda marcas com esses apps para celular e evite que sua imagem seja usada sem seu consentimento;
  9. Não divulgue foto de outras crianças sem autorização dos pais;
  10. Coloque seu perfil como privado nas redes sociais e divulgue suas fotos apenas para seus amigos.

Mamães e papais blogueiros, nós que estamos sempre expondo a vida dos nossos pequenos, temos uma responsabilidade ainda maior com o tipo de foto que estamos divulgando na internet. Nossos filhos não tiveram a opção de dizer que não queria essa vida pública, por isso, por respeito a eles, vamos tomar mais cuidado. É melhor perder uma boa foto que renderia muitas curtidas do que causar qualquer tipo de constrangimento a eles.

Ela está me testando, eu sei. Mas até quando?

Ontem fomos ao shopping com a Alice (2 anos e 1 mês, lembrem-se), pois eu precisava comprar umas coisas para minha empresa e quis aproveitar a “viagem” para jantar por lá. Durante o jantar, minha querida filha deixou de ser bonequinha e um estranho ser habitou aquele corpo, e resolveu aterrorizar no momento de refeição.

IMG_2936

Gente, sério, foi tenso. Ela pulou da cadeira, arrancou os sapatos, se arrastava no chão passando pelas cadeiras das outras mesas, jogou minha carteira no chão, recusou parte da comida, gritou. Sabe aquela cena que a gente vê antes de ser mãe e pensa: “Ah, se fosse meu filho…”. Então! O que fazer quando de fato É o seu filho?

Segui todas as regras dos livros. Me abaixei na altura dela, conversei séria, mas sem gritar. Busquei-a e coloquei-a na cadeira 5 mil vezes, sem me descabelar. Peguei no colo, conversei, dei carinho, expliquei que não é legal se comportar assim. Nada adiantou. Em um determinado minuto olhei pro meu marido com cara de piedade e disse: Você nào tem vontade de dar uns tapas na bunda dela nessa hora? E ele, quieto e sério, já chateado com a situação, só fez que sim com a cabeça.

Nunca o fizemos, nunca partimos para a palmada, mas tem vezes que juro que não sei mais o que fazer. Nada resolve. E aí você lê que a criança nessa idade está testando os limites dos pais, então me pergunto: até quando? Qual é o limite? Quando isso acaba?

Depois que eu acabei de comer (engolir) a comida, ela pediu para ir ao banheiro, e fomos, e então o papai conseguiu acabar de comer e fomos embora. Aí ela se comportou melhor, dormiu no caminho, e chegou em casa apagada, como um anjinho!

Por favor, me contem que isso não acontece só comigo!