terça-feira, 2 de dezembro de 2014

Mães Perfeitas

Eu participo de alguns grupos de discussões para mães e costumo ler vários blogs maternos e cheguei a uma conclusão: estamos ficando neuróticas e loucas. É tanta gente cheia de certeza do que é o certo e apontando o dedo para o outro para dizer que ele é o errado que parece que só existem mãe perfeita por ai.

IMG_2451

Nossas avós criaram nossos pais na base do medo, nossos pais nos criaram com base na liberdade e diálogo e hoje nossa geração quer ser composta de pais perfeitos e criar filhos perfeitos, sem traumas e extremamente estimulados. Será que esse é o caminho certo? Toda essa preocupação em acertar não é um pouco de paranoia?

O que eu mais escuto ultimamente é o “eu não deixo”, não deixo meu filho comer doce, nem assistir televisão, nem mexer em celulares ou tablets, nem brincar com brinquedos eletrônicos, comida só orgânica, jogos apenas educativos, não escuta Xuxa, apenas música clássica, não não não... é tanta negativa na busca da criação perfeita que eu me pergunto se não estamos nos tornando pessoas chatas?

Eu super me incluo viu? Não deixo a Manu comer doces ou evito ao máximo gordura, não deixo ela brincar com celular ou tablet e sou muito encanada com o que ela brinca se estimula corretamente e blá blá blá.

Acho que ficamos muito presas as teorias, pedagogias, ao que dizem os médicos ou quaisquer outros especialistas do mundo infantil e esquecemos de que algumas coisas não precisam seguir nenhuma regra, somos pessoas únicas e nossos filhos são indivíduos e não cabe uma receita de bolo em nossa relação.

Precisamos aprender a flexibilizar as coisas, a improvisar, a errar sem medo porque é daí que vem o aprendizado, viver de forma mais leve, sem tanta pressão. É muito difícil ser perfeito e confesso que mais errei tentando acertar do que quando fiz as coisas de forma mais natural.

Entretanto, eu não digo que tenhamos que parar de estudar ou ler tudo que existe por ai, pois foram os blogs e os especialistas que me ajudaram e ainda ajudam muito a lidar com inúmeras adversidades. Digo somente que não levemos tudo ao pé da letra e nem tenhamos medo de seguir nossos próprios padrões e ideologias.

Chega dessa ditadura de que não pode excesso de beijo, de colo, de atenção, dormir junto, de isso ou daquilo, ame e aproveite cada minutinho do seu pequeno, porque ele vai crescer e todo esse tempo vai ficar para trás.

Não existem certo ou errado quando criamos um filho com amor, carinho e dedicação. Mesmo os nossos equívocos se mostraram importantes no futuro, pois dão a chance de nossos filhos saberem que somos humanos, erramos e por isso somos eternos aprendizes como eles.

Mães perfeitas, se vocês existem mandem beijos de luz para o Coelhinho da Páscoa, para o Papai Noel, Elfos, Fadas, Unicórnios… Mande um beijo

Nenhum comentário:

Postar um comentário