quarta-feira, 31 de dezembro de 2014

O ano não vai mudar se você não mudar

Eu sou daquelas pessoas muito animadas com as festas de final de ano, acredito em todas as simpatias, escolho a cor da minha roupa e das minhas unhas de acordo com o meu desejo para o próximo ano e fico na maior expectativa para que o novo comece.

IMG_2584

Porém, neste ano, senti uma calma diferente, ainda sigo as minhas simpatias, provavelmente estarei comendo uva e lentilha com os pés no alto a meia noite do dia de hoje, mas não sinto mais essa pressa para que o ano termine, não odeio mais tanto assim o ano que passou como eu odiava antes.

Este ano não foi tão fácil, aconteceu muita coisa na minha vida e imagino que na sua também, houve momentos difíceis, outros melhores, para todo lado que eu olhava eu percebi que este ano não estava sendo fácil para ninguém.

Entretanto, eu observei que na balança das coisas importantes este foi um ano maravilhoso, tínhamos saúde, nossa família continua unida, não desfiz nenhuma amizade, não tive nenhuma briga, presenciei aniversários, nascimentos e casamentos de pessoas queridas. Revi pessoas que amo muito e passei momentos importantes com a minha família.

Neste ano minha filha cresceu, fez sua primeira festinha de aniversário, aprendeu a andar, começou a falar, a correr, fez seus primeiros trabalhinhos na escola, começou a aprontar e fazer manha e coloriu mais ainda a minha vida.

Então não tive problemas? Tive e não foram poucos, mas quer saber? Ficou tudo lá no passado, não perco tempo remoendo tristezas ou pensando em problemas, vamos correr é atrás da solução...

E por fim, percebi que não preciso de um novo ano, mas preciso me renovar, quem tem que mudar sou eu e não a folhinha do calendário. Nada muda do dia 31/12 para o dia 01/01, porém com um novo pensamento podemos mudar nosso jeito e ser uma pessoa melhor para os outros e para nós mesmos a qualquer momento.

Por isso, desejo que você seja uma pessoa melhor nesse próximo ano, que você traga luz para sua vida, que você seja feliz e corra atrás do que te faz feliz, que possa amar e ser caridoso com o próximo, que tenha mais paciência com aqueles que insistem em te tirar do sério. Espero que você erre para pode aprender e que levante com mais força ainda depois de qualquer tropeço. Eu acredito muito em você e tenho certeza que você será melhor para o próximo ano!

terça-feira, 30 de dezembro de 2014

O que fazer se meu filho tiver reação a uma picada de inseto?

Por Kelly Oliveira - www.pediatriadescomplicada.com

No último post falamos sobre a prevenção contra os insetos, para evitar picadas. Mas se mesmo com todas as medidas preventivas seu pequeno levou uma picada, é importante saber o que fazer nessa hora, e como tratar caso ele tenha uma reação grave.

Foto 06-11-14 20 09 29

Quando as reações forem leves e seu filho não tiver alergias graves ou anafilaxia, você pode:
- Vá para uma área segura para evitar mais picadas, principalmente se houver muitos insetos na área.

- Lave muito bem as mãos antes de mexer na picada, pois o “buraquinho” que ficou pode ser uma porta aberta para infecções.

- Se o inseto causador tinha ferrão, como abelha e vespa, e você conseguir ver o ferrão, retire-o com a ponta de um estileteou algo mais rígido (limpe com álcool 70%). Nunca esprema a área que está com o ferrão ou use pinças. Isso pode fazer com que o ferrão entre ainda mais e espalhe veneno, piorando a ferida. Se não souber como retirar, não mexa.

- Faça compressa de gelo para aliviar o inchaço da região e evitar que coce mais. O gelo faz os vasos se contraírem, diminuindo a reação inflamatória.

- Cremes tópicos a base de calamina ou aqueles que contém aveia coloidal ou bicarbonato de sódio, podem aliviar a coceira, enquanto outros ajudam a controlar a dor. Analgésicos podem ser usados para aliviar a dor das picadas;

Quais são os sinais de uma alergia grave, ou anafilaxia?
As reações a picadas são inesperadas, e evoluem rapidamente para algo muito grave, com risco de morte em alguns casos mais graves. Os principais sintomas são:

- dificuldade para respirar, falta de ar, chiado no peito
- palidez e sensação de sufocamento
- sensação de aperto no peito e tosse
- inchaço nos lábios, olhos, mãos, pés ou garganta
- suor excessivo com sensação de desmaio
- desmaio
- confusão mental
- batimento cardíaco acelerado
- placas avermelhadas que causam coceira no corpo
- náuseas, enjoos e vômito
- dor abdominal

Se após a picada seu filho apresentar algum dos sintomas acima, leve-o imediatamente para um pronto socorro ou chame o SAMU (192) se necessário – já na ambulância eles conseguem medicar.

Caso a criança sofra mais de 20 picadas pelo corpo, independente se já tiver apresentado alergia antes ou não, dê uma dose de antialérgico previamente receitado pelo médico e leve ao hospital imediatamente.

Crianças alérgicas podem ter uma reação grave e alguns cuidados podem ser tomados para aliviar os sintomas imediatos. O mais importante é o desconforto respiratório ou a confusão mental. Se o seu filho é sabidamente alérgico, tome as providências necessárias. Mantenha sempre os pés e pernas da criança elevados acima do corpo, vire a criança de lado para que não sufoque caso vomite ou haja sangramento nas vias aéreas, afrouxe as roupas apertadas e cubra a criança com cobertor caso seja necessário. Não dê à criança nada para tomar, nem mesmo água. Fique sempre atento se o quadro da criança está piorando ou não.

O que fazer se a picada virou uma ferida
Quando a criança coça a picada, as bactérias presentes nas mãozinhas podem entrar na pele e causar uma infecção local, chamada de impetigo.

Foto 07-11-14 18 58 05

É caracterizada por vermelhidão, inchaço local, aumento da temperatura e dor. Pode sair pus e ter um cheiro forte. A criança também pode ter febre, apesar de não ser tão comum. Se isso ocorrer, procure o médico para orientação e uso de antibiótico se necessário.

Conte pra gente: você conhece algum remédio caseiro? O que você costuma passar na picada? Seu filho já teve alguma reação grave? Deixe também suas dúvidas nos comentários!

Um abraço!

segunda-feira, 29 de dezembro de 2014

Caixa Sensorial – muito mais que uma brincadeira

As férias são um ótimo momento para deixarmos os nossos filhos livres para aprender brincando, mas nem sempre conseguimos pensar exatamente em como diversificar as brincadeiras. Uma excelente opção são as caixas sensoriais, que além de entreter educam, compondo até mini “universos” que darão a oportunidade da criança experimentar sensações em seus sentidos.

A ideia da Caixa Sensorial surgiu depois que a médica e estudiosa Maria Montessori observou que dos zero aos seis anos os sentidos dos pequenos estão à flor da pele e é uma fase de intenso aprendizado.

Ela entendeu então, que na primeira infância o aprendizado deveria estimular os sentidos da criança, os materiais utilizados devem educar com cores e tons, formas geométricas, texturas, pesos, tamanho, objetos...

Algumas ideias de caixas:

1) Material (neste caso o macarrão) em diversos formatos e na cor amarela, com objetos em vermelho que auxiliam no manuseio e experiência com o objeto.

1

Fonte: http://nadjafavero.wordpress.com/2013/06/20/sensory-box-caixa-sensorial-montessoriana/

2) Floresta encantada com grãos como pedrinhas, princesas e companheiros para criar a história, pedacinhos de madeira que podem ser a árvore…

2

Fonte:
http://journalbebe.blogspot.com.br/2012/08/a-caixa-e-mesa-sensorial-Montessori-em.html

3) Parque dos Dinossauros: sementes, pedrinhas e muitos bonequinhos para fazer a imaginação do seu pequeno voar.

3

Fonte: http://www.soudecasa.com.br/montessori-em-casa-caixa-sensorial-dinossauros-2/256/

4) Brincando com água: copos, baldinhos e todos os brinquedinhos que você achar que podem fazer parte desse mundo da água.

4

Fonte: http://montessoriefamilia.blogspot.com.br/2012/04/inspiracao-montessori-publicado-no-blog.html

5) Vida Cotidiana: vamos imitar o dia a dia dos papais? Louças de brinquedos e uma caixa com água farão seu pequeno achar que também está cuidando da casa…

5

Fonte: https://www.flickr.com/photos/44068722@N06/sets/72157624629845960/

6) Caixa Cor e Formas: as caixas que trabalham uma única cor em seus objetos são excelentes para o entendimento e a relação da cor com determinado material ou alimento, além do aprendizado da diferença das cores.

6

Fonte: http://sofia-educarcomcarinho.blogspot.com.br/2011/10/montessori-em-nossa-casa-caixa.html

sexta-feira, 26 de dezembro de 2014

Ar condicionado ou ventilador?

Eu amo o verão, mas se tem algo que incomoda um pouco é aquela sensação de calor que nos deixa suados e grudando, quando até o lençol da cama parece que esquenta. São Paulo (onde vivo) é uma cidade fresca no geral, mas no verão ela consegue ser uma ilha de calor, já que temos concreto para todos os lados.

calor-1024

Fonte: http://www.petshopmagazine.com.br/2012/10/22/calor-exige-cuidados-especiais-com-os-pets/

Os pequenos não reclamam de calor, mas transparecem muito e dão sinais de que aquela temperatura também os está incomodando. A Manu fica suada, com o cabelo molhado e as bochechas bem rosadas, ela fica parecendo uma maçã de tão vermelha. Nessas noites ela demora mais para dormir e costuma choramingar mais, parece que ela não acha posição.

IMG_0334É muito difícil dosar o calor quando temos um bebê muito pequeno, já que a ideia que temos é que tomo neném sente frio. Segundo a pediatra Débora Passos, em entrevista para a Revista Pais & Filhos, o recém-nascido tem os pés e mãos mais frios, é normal, mas isso não quer dizer que eles estejam com frio. Nos dias muito quentes ela recomenda que mesmo os pequerruchos que chegaram recentemente ao mundo, deverão usar roupas leves ou só um body.

Depois que a criança completa três meses ela começa a suar e ai você terá mais sinais que ajudarão a entender como o seu filho está se sentindo diante da temperatura.

Mas e a pergunta que não quer calar, ar-condicionado ou ventilador?

Não tem mocinho ou vilão nessa resposta, ambos poderão ser utilizados e serão úteis se tomarmos alguns cuidados:

Ar-condicionado:

A temperatura ideal para um bebê é de 25ºC, não vai gelar o ambiente, mas o deixará mais fresquinho. Como ele resseca o ar, umidifique sempre o ambiente com um aparelho próprio ou até uma bacia com água.

Colocar um ar-condicionado no quarto do seu filho não é proibido mas exige muitos cuidados (não gosto muito da ideia) como manter os filtros sempre bem limpos e evitar os choques térmicos saindo do ambiente mais geladinho e indo para um ambiente quente. Desligue ou aumente a temperatura do ar por alguns minutos até que ela fique mais próxima com a que está fora do quarto e ai sim saia com a criança.

Ventilador

Ele está liberado para uso desde que não fiquei diretamente no bebê, seu uso agrada mais alguns especialistas, pois ele não altera a temperatura do ambiente, evitando choques de calor e frio, além de ser mais fácil de limpar.

E mais uma vez, mamães, papais, vovós de recém nascido, cuidado com o excesso de roupa, fiquem atentos e evitem agasalhar se mais seu pequenino no verão, pois esse hábito pode gerar até febre com o super aquecimento do corpo do bebê.

Converse com seu pediatra e veja quais as orientações dele diante da temperatura e do histórico médico do seu bebê.

Fonte: http://www.paisefilhos.com.br/bebe/aliviando-o-calor-do-bebe

quarta-feira, 24 de dezembro de 2014

Mães famosas: O estilo de Kate Middleton na gravidez

Por Josi Guimarães

Uma das mulheres mais elegantes do mundo, Kete Middleton mesmo que não fosse da realeza seria ainda sim uma princesa. Sempre teve ótimo gosto para se vestir e uma certa sofisticação de ser. Mas hoje, elegância faz parte do protocolo 'esposa de príncipe'!

Quando ficou grávida do primeiro filho, Jorge de Cambridge, ela desfilou looks incríveis e super inspiradores. Agora em sua segunda gestação, continua inspirando, vamos conferir?

1. A Grávida elegante marcando presença nos eventos: peças super alinhadas, scarpins e cores discretas.
1 - kate-1  3 - kate-3  8 - kate-8

2. Para o dia a dia peças confortáveis: peças amplas, sapatos flats ou anabelas, quase sempre cabelos soltos.

2 - kate-2   6 - kate-6

3. Clássica: não dispensa o blazer, salto e tecidos fluidos!
4 - kate-4  5 - kate-5  7 - kate-7

Fonte das imagens: Pinterest

Véspera de Natal – Vamos agradecer!

Tentamos evitar o máximo possível falar de religião ou dogmas, pois nosso objetivo é respeitar a todos, dentro de suas crenças, sem ficar valorizando a nossa própria. Porém, o natal é uma data da exceção, por isso pedimos licença e vamos falar um pouquinho de Deus.

IMG_1571

Nós acreditamos que Deus está dentro de nós, de nossas ações, da maneira que tratamos o outro e nosso olhar de agradecimento diante de tudo o que recebemos em nossa vida, ele é a natureza e todas as bênçãos que recebemos todos os dias e que muitas vezes nem se quer reparamos.

Por isso, gostaríamos de aproveitar a véspera do dia do nascimento de cristo, que simboliza o nascimento da bondade, da caridade e do amor ao próximo para refletir, mas sem julgamentos, sobre as nossas ações nesse ano. Será que agi certo? Fui justa? Fui correta? Fui caridosa? Se não fui, como posso melhorar como evitar estes erros e assim, ser um ser humano mais digno desse presente que é a vida.

Agradecemos imensamente o carinho e o amor de todas as nossas seguidoras, nossas novas amigas que vieram preencher nossa vida de alegria. O Papo Maternidade nasceu em maio desse ano e foi um dos melhores presentes que tivemos a chance de receber nessa vida. Tudo o que fazemos aqui é baseado no amor e na fraternidade, em dividir com vocês o pouco que sabemos e aprender muito com essa nossa troca continua de experiências.

Somos imensamente gratas a Deus por nossas famílias, pela benção de sermos mães, por nossos amigos, pelas inúmeras oportunidades de sorrisos, por tudo que aprendemos e evoluímos, por nossa saúde, por nossos trabalhos... a lista é muito grande.

Humildemente também somos gratas por todos os problemas e dificuldades, pois com eles aprendemos e crescemos, são eles nos movem a mudar e melhorar. Entendemos que a vida feliz, também é aquele que possui certa desordem, términos, perdas, quedas, nãos e por ai vai. Esse é o equilíbrio da vida.

Desejamos a todos os leitores e leitoras do Papo Maternidade uma Natal de amor e alegria para vocês e suas famílias. Que a paz do espírito de fraternidade e carinho permeia sua noite, que ela tenha ainda muitas risadas, comidinhas gostosas, presentinhos e crianças iluminando esse momento mágico.

Um Feliz Natal!

terça-feira, 23 de dezembro de 2014

Planejando uma Casa com Filhos no Futuro

Muitos casais que planejam ter filhos não fazem a menor ideia das mudanças que uma criança pode trazer para uma casa, muitos móveis que amamos e que tem tudo haver com o que pensamos para decoração se mostram impraticáveis em uma casa com crianças.

Como eu me mudei quando descobri que estava grávida, eu tive tempo de planejar um pouco mais o meu AP, por isso meus amigos com filhos me deram muitas dicas que facilitariam o meu dia a dia que gostaria de dividir com vocês:

  • Se vai fazer móveis planejados, coloque chave em tudo o que você puder, gavetas e armários são campeões em deixar dedinhos curiosos roxos. Eu fiz isso e me ajudou muito, não preciso usar aquelas travas de segurança que as crianças aprendem rapidinho a destravar.

IMG_0485IMG_0489

  • Quando não puder colocar uma fechadura, coloque puxadores mais altos e mais difíceis para as crianças abrirem.

IMG_0492

  • Esconda ou embuta as tomadas que você usará com frequência, coloque as tomadas mais altas também, assim evita que a criança fique mexendo nos fios.

IMG_0497

  • Evite tecido no sofá, de preferências para os materiais que limpam fácil como o sintético ou o couro.

IMG_0487

  • Criança adora subir em cadeira, por isso, mesas com cadeiras muito leves podem ser mais arriscadas, pois podem virar com facilidade, cadeiras mais pesadas não tem muito esse risco. Além disso, opte por estofados que ofereçam uma limpeza mais fácil.

IMG_0493

  • Tapetes peludos são lindos, mas são difíceis de limpar e podem dar alergia no pequeno, opte por tapetes de trama curta.

IMG_0498

  • Evite Persianas, eu tenho e posso dizer que são péssimas com criança pequena, os bebês se enroscam e podem ter risco de sufocamento ou sofre algum machucado.
  • Você precisará colocar redes de proteção, assim que o bebê começar a dar sinais que vai começar a andar ou subir em móveis corra para instalar.

IMG_0488

Fonte: Anônima - Internet

  • Opte por mesas redondas, são muito mais seguras já que as quinas são um convite para os pequenos baterem a cabeça.
  • Evite móveis com quinas finas e também os pesados que possam cair ou fechar nas mãos dos bebês. Eu tenho um baú lindo, que eu usava como mesa de centro, mas que é super perigoso para Manu e agora fica escondido.
  • Evite objetos de decoração ou móveis que deixem miudezas ao alcance dos pequenos, eles são vistos como brinquedos por eles e serão extremamente atrativos para as mãos e boquinhas curiosas.

Você fez ou adaptou algo na sua casa que a tornou mais segura? Conta para a gente a sua dica!

segunda-feira, 22 de dezembro de 2014

Linha NUK CARE – Nós testamos!

Eu sempre pensei na NUK como uma marca de mamadeiras, chupetas e acessórios para bebês de qualidade e bons para saúde dos pequenos. Um dia, recebi o convite para participar do lançamento da nova linha CARE e fui surpreendida positivamente por uma lista super completa de produtos que contemplam os cuidados com o recém-nascido, bebês, gestantes e mamães. Produtos sem perfume, feitos a base de extratos naturais, respeitando as necessidades de seu público.

Eu passei quase um mês testando os produtos no meu dia a dia e no da Manu e minha opinião foi a seguinte:

LINHA BABY

IMG_0476

· Gel de Limpeza em Espuma Suave: lava o bebê da cabeça aos pés, é bem prático e rende bastante. É perfeito para os recém-nascidos ou para os bebês pequenos por não ter cheiro, ser muito suave e não ardes nos olhos. No caso da Manu eu já prefiro algo com cheirinho, mas quando eu tiver outro bebê eu certamente vou usar esse produto.

IMG_0472

· Água de Limpeza Suave: é uma água sem enxague para rotina de higiene do bebê, perfeita para o corpo e rosto. Limpa e deixa a pele do bebê bem fresquinha, ótimo para limpar o bebê depois daquela fralda muito carregada ou para limpar o rostinho depois de um lanchinho, eu amei. Já faz parte do meu KIT passeio, viagens...

IMG_0469

· Leite para Limpeza Suave: ele é bem parecido com a água, também é sem enxágue mas tem a vantagem de deixar a pela do bebê mais hidratada, ótimo para pequeninos de pele sensível. Usei bastante no pós sol da Manu, para aliviar um pouco o ressecamento da pele. Eu amei, para falar a verdade tenho usado esse até em mim no dia a dia, me da uma sensação de limpeza e frescor, mas sem me deixar com a pele seca.

IMG_0474 

· Creme Nutriprotetor: quando a Manu era uma bebê pequenina eu sentia muita falta de um hidratante bom, mas sem cheiro, mais leve e suave, pois sua pele vivia ressecada e os óleos faziam muita meleca e os hidratantes tinham um cheiro com perfume forte. Até hoje eu tomo muito cuidado com cremes por que ela tem muitos probleminhas de pele, por isso, esse creme tem sido um grande parceiro, já entrou no nécessaire.

LINHA BEAUTY (não faz mal nenhum para o bebê, pode usar na gestação e na amamentação)

IMG_0479

· Gel para Estrias: esse produto é ótimo para as gestantes no combate as terríveis estrias, porém eu estou usando e estou gostando. Não diminuíram as minhas, mas senti a pele mais firme e me deu uma sensação hidratação sem “gordura”, odeio me sentir grudenta.

IMG_0482

· Loção Refrescante Bruma Marinha: sério, para tudo, vocês precisam testar pulverizar seu rosto com esse produto milagroso, eu juro que senti até minha pele mais jovem depois que comecei a usar, ele hidrata e refresca e revigora a pele, amei muito muito.

IMG_0478

· Gel Relaxante Refrescante para Pernas: presentão da Nuk para as gestantes e mamães com filhos de qualquer idade, ele realmente alivia o canseira do dia a dia e faz quase um carinho. Normalmente eu já passo fazendo uma passagem nos meus pés, pernas e joelhos e na hora eu já sinto um geladinho incrível.

IMG_0484

· Bálsamo Amamentação para Mamilo: esse produto é um composto de 100% de lanolina, por isso é ótimo para a mamãe e não faz nenhum mal para o lactante. O ideal é aplicar uma fina camada no mamilo depois da amamentação, assim você hidrata e a calma a pele da região. Por motivos óbvios eu não consegui testar esse produto, mas passei um pouco na minha mão e senti que ele é bem hidrante mesmo.

sexta-feira, 19 de dezembro de 2014

Dicas para escolher a escola para o seu filho

Por Lilian Tavares

O final do ano se aproxima e para muitas famílias é hora de escolher a escola da criança para o ano seguinte. Quero compartilhar com vocês esta lista publicada na página da Revista Crescer. Em destaque, comento cada um dos itens:

1- Faça uma lista

Antes de tudo, saiba exatamente o que você espera da escola. Elenque aquilo de que não abre mão, como espaço físico, profissionais qualificados, proximidade de casa, opção de período integral, oferta de cursos extracurriculares. Cada família tem seus próprios aspectos a considerar, por isso é bom criar uma lista de prioridades. Ao fazê-la, você visualiza o que deseja – e isso facilita a busca. É mesmo muito bom levar tudo anotado, algo como “perguntas mais frequentes”. A gente se envolve na conversa e se esquece de perguntar muita coisa. Experiência própria.

2- Em sintonia

Opte por uma escola que tenha a ver com o seu filho e o estilo da família. Não adianta, por exemplo, colocar a criança em um colégio religioso se vocês não são daquela religião. Isso vale também para outras concepções de educação. Por exemplo: tenho um perfil mais libertário e, portanto, não optaria, por exemplo, pelo colégio da Polícia Militar.

3- Pesquise muito

Não há número mínimo ou máximo de escolas que devem ser visitadas antes de fazer a escolha. Para alguns, pode acontecer logo de cara, na primeira visita. Para outros, leva tempo e muita pesquisa. A decisão final só deve ser tomada quando os pais se sentem realmente seguros e confiantes. A pesquisa é importante por que precisamos de muitos parâmetros para conseguir estabelecer o que é importante ou não. Tendemos a achar tudo lindo e maravilhoso quando visitamos as escolas, porém o olhar crítico vem depois de um pouco mais de experiência.

4- Converse

Aproveite a hora de saída ou entrada das crianças para conhecer pais de alunos da instituição. Converse com eles sobre questões básicas como alimentação, rotina, método de ensino... As repostas deles podem confirmar (ou não) suas impressões iniciais sobre a escola. Vale também uma pesquisadinha básica na internet, especialmente nas redes sociais e páginas de reclamações de consumidores.

5- Leve a criança

Se você já eliminou diversas opções e ainda está em dúvida entre duas ou três escolas, leve seu filho para visitá-las. Quando a criança vai ao colégio, os pais percebem se ela simpatiza com o ambiente e o tratamento dos profissionais com ela. Se possível, é interessante levar a criança em TODAS as escolas, não só em algumas. Inseri-la nos processos de escolha é fundamental!

6- Além do básico

O colégio deve ir além de apenas passar o conteúdo das aulas e cuidar da criança, mantendo-a limpa e alimentada. Eleja uma instituição que também ensine valores e estimule o desenvolvimento cognitivo, físico e social – independentemente da idade do seu filho. Sei que muitos não concordam, mas para mim, o conteúdo é o de menos. Aliás, uma dica: desconfiem muito de sistemas apostilados, especialmente na Educação Infantil...

Com relação à higiene, penso também que outros fatores devem ser priorizados. É bem mais interessante encontrar a criança sujinha de terra ou tinta do que toda limpa. Desconfiem também quando a roupa da criança vem sempre limpa ou quando não há troca suja na bolsa. Criança com autonomia para se alimentar faz a maior sujeira e aquela que brincou muito no parquinho e fez mil artes também. Em compensação, isso não acontece se ela ficou muito tempo assistindo televisão ou preenchendo apostilas. Fique de olho!

7- Preço e qualidade

O alto custo de uma escola particular não significa, necessariamente, boa qualidade educacional. Há excelentes instituições públicas com projeto pedagógico interessante, enquanto algumas privadas têm projetos duvidosos. Não dá para generalizar. É a pura verdade!

8- A comunidade escolar

Leve em conta o padrão de vida dos alunos: ainda que você possa pagar a mensalidade, talvez não consiga acompanhar os hábitos daquela comunidade. Isso pode ser ruim para a criança, pois ela vai desenvolver um senso de inferioridade: é como se ficasse sempre atrás. Por isso, opte por uma escola que se ajuste ao seu padrão financeiro. Assim, seu filho se sentirá parte do grupo, terá assuntos semelhantes e poderá frequentar os mesmos lugares que os amigos. O que eu destacaria é a importância de perguntar logo no início quais são os gastos que vão além da mensalidade, como alimentação, material pedagógico, lembrancinhas para datas comemorativas e passeios.

9- Horários

Quando o pai e a mãe trabalham fora, é essencial questionar sobre o que acontece caso se atrasem para buscar a criança. Cada escola tem seu método: há desde as que não aceitam atrasos até as que cobram taxas extras pelo tempo a mais que a criança permanece ali. Gente, tudo, absolutamente tudo deve estar previsto em contrato. Não só sobre os atrasos, mas também sobre medicação e emergência, pessoas autorizadas a retirar a criança da escola, informações sobre saúde (como alergias, por exemplo) e tudo mais o que julgar importante.

10- Datas comemorativas

Se você sonha em ver seu filho fazendo apresentações em datas comemorativas como Dia dos Pais e das Mães, busque uma escola que ofereça isso. Algumas não realizam festas nessas datas. Outras fazem as comemorações internamente, só para as crianças. E há, ainda, as que realizam o evento e cobram pelo serviço (desde o figurino usado pelos alunos até os presentes ofertados aos pais). Acho que já conversamos sobre isso...

Um grande abraço a todas e um ótimo 2015!

Os cuidados com o bebê e o sol

Não tem jeito, o verão é uma combinação de atividades ao ar livre, praia, piscina e muita exposição ao sol. Eu amo essa época, acho que tudo fica mais alegre, colorido e tenho muito mais disposição, mas não suporte a ideia de ficar assando no sol e colocando a minha saúde ou da minha família em risco, por isso fico sempre muito atenta aos seguintes cuidados:

   1. Horário de exposição ao sol:

IMG_3126

    • Antes das 10h ou depois das 16h no horário regular (com protetor solar)
    • Antes das 11h ou depois das 17h no horário de verão (com protetor solar)

   2. Bebês menores de 6 meses devem evitar exposição prolongada ao sol pois sua pele é muito sensível, o recomendado pelos pediatras são os “banhos de sol” de 15 minutos.

IMG_1948

   3. Nos dias nublados você até pode não sentir o sol, mas ele está lá, tão nocivo quanto, não vamos dar mole não hein?!

IMG_3683

  4. Usar protetor solar específico para idade do seu filho com proteção mínima do fator 30 e reaplicando com frequência. Essa história de que não sai na água ou com o suor não é real, a pele perde sim parte do produto.

   5. Quanto mais branquinha a pele menos melanina, sendo assim, maior a sensibilidade ao sol, por isso, quanto mais clarinho o seu filho, maior a necessidade de repassar o protetor. Não se esqueça de passar de leve uma camadinha na boca do seu pequeno, pois ela também sofre com os raios solares.

  6. Use boné ou chapeuzinho, existem produtos hoje que também oferecem proteção UV. Como a Manu não gosta, ela tira, eu passo protetor solar na cabeça dela rs.

IMG_3659

   7. As doenças de pele também adoram o verão, cuidados como não deixar o bebê muito tempo com roupinhas de banho molhadas e secar bem as dobrinhas de pele e os dedinhos evitam fungos. Além disse, uma dica importante são roupinhas leves para evitar um aquecimento maior da pele do seu filho.

  8. Chinelinhos também são recomendados para praia, piscina ou banheiros coletivos, além de evitar queimar a solinha do pé no chão quente, ajudam a evitar algum fungo ou algo do gênero.

   9. O sol também pode ser o grande vilão da DESIDRATAÇÃO, por isso, mesmo no meio da diversão, não vamos esquecer-nos de tomar (somos o exemplo) e dar líquido para os nossos filhos. Pode ser água pura, suco natural, chás, água de coco, além de frutas e legumes que também ajudam na hidratação.

Não é para o versão ser chato viu, mas é para tomarmos cuidado para podermos aproveitar só o melhor dele :*

quinta-feira, 18 de dezembro de 2014

Ajude seu filho a ser independente

Ouço de muitas amigas e conhecidas, até mesmo das que têm filhos, que a Alice é muito esperta, muito independente. “Nossa, ela já faz isso sozinha?” é algo que escuto muito, e claro, abro o sorrisão de orgulho. Alice não é nenhuma super dotada, não me parece estar acima da média, e a única diferença grande que vejo é que aqui em casa deixamos ela fazer. Fazer quase tudo.

Alice-2anos-festa-83

Um erro comum dos pais, principalmente dos de primeira viagem, é não acreditar na capacidade dos filhos. Eles dizem: “Ah, mas ele ainda é pequeno para isso”, “Ah, isso ele não consegue”, “ele ainda é muito bebê”. Aqui em casa temos por hábito deixar a Alice se virar, orientar e ensinar tudo o que ela mostra interesse, e assim vemos que ela se desenvolve muito bem, muito rápido, e é cada vez mais independente.

Abaixo, uma lista de atividades que seus bebês entre 1 e 2 anos podem fazer sozinhos e que só têm a ajudar no seu desenvolvimento:

- calçar o chinelo, sandália ou o tênis sozinho. Mesmo que ele erre o lado algumas vezes, é só orientar que está trocado, esperar que ele mesmo arrume e deixar com que faça sozinho das próximas vezes.

- comer. O post de ontem foi especialmente sobre isso, e para mim a criança tem sim que comer sozinha desde cedo. Leia na íntegra aqui.

- recolher os brinquedos. Aqui em casa sempre foi regra: Alice tem que recolher todos os brinquedos quando termina a brincadeira. O resultado é que ela é extremamente organizada (muito mais que eu, inclusive), e seu quarto está sempre arrumado.

- escolher o que vai assistir nos momentos de TV. Não é que ela escolha entre qualquer coisa e assiste o que quer. Na verdade damos sempre algumas opções para ela escolher entre as nossas previamente escolhidas. Coloco, por exemplo, no Netflix e digo: hoje você quer ver Dora Aventureira ou Doutora Brinquedos? Dar à criança a chance de escolher entre as opções selecionadas por você faz com que ela se sinta responsável pela escolha, que se sinta independente e capaz. É um excelente exercício.

- se vestir. Ainda não deu certo, mas incentivamos sempre as tentativas por aqui. Ela coloca a jaqueta com a abertura para trás, as duas pernas na mesma abertura do short, coloca a camiseta na cabeça e erra os braços… Mas sabemos que logo logo ela consegue.

- manipular seus livros. Durante um tempo deixávamos todos os livros no alto, com medo de ela destruir. Mas de alguns meses para cá comecei a perceber que ela quer “ler” a qualquer hora, que pode estar no quarto, pegar um livro e brincar. Entao pegamos os livros mais resistentes e deixamos onde ela alcança, e agora ela mesma pode pegar e ler na hora que quiser. Foi um sucesso de decisão. Hoje mesmo a chamei para tomar café e ela respondeu: “Só um poquinho, to leno o livo”.

- escovar os dentes. Quando começamos a escovar os dentes da Alice ela adorava, depois enjoou e começou a causar. A saída foi dar a escova na mão dela e deixá-la escovar sozinha. É claro que ela não faz isso direito, mas tenta e se esforça. Escova o fundo, a frente, o sorriso, a língua. Quando ela acaba, o papai ajuda e escolva novamente.

- colocar a roupa suja no cesto. Alice adora a tividade, vai toda feliz com sua roupa suja nos braços e joga direitinho dentro do cesto. E na hora que vou lavar ela ainda me ajuda a separar as roupas por cores.

- soltar bolinhas de sabão. Sim, parece bobagem, mas no dia do aniversário dela ela queria muito brincar com as bolinhas, e eu estava morrendo de medo de ela não conseguir e beber a água com sabão. No fim expliquei como fazia e desencanei. E logo logo a pequena soltava muitas bolinhas.

Alice-2anos-festa-145

Hoje mamães e papais, a dica é: deixem seus filhos fazerem tudo sozinhos. Estejam por perto para ensinar, orientar e ajudar, mas deixem que eles fiquem livres para tentar. O resultado será surpreendente, podem apostar!

Sugestões de Presentes para o Natal

Já sabe o que vai dar de presente de natal para as crianças da família? Nós temos algumas sugestões:

quarta-feira, 17 de dezembro de 2014

Meu filho não senta para comer, e agora?

Ontem estava conversando com uma amiga e ela me contou que o sobrinho dela quase nunca se senta à mesa para comer. A hora da refeição é sempre uma maratona, com a família correndo pela casa com a colher na mão atrás do pequeno para que ele coma tudinho.

IMG_2734

Aqui em casa isso é bem diferente, e Alice se senta à mesa com a gente para comer desde muito cedo, come sozinha, come tudo e não faz mais sujeira. O segredo? Eu não faço ideia! Afinal, nada na criação tem receita. Entretanto acredito que algumas decisões que tomamos ao longo da iniciação alimentar da Alice contribuíram muito para isso. Vejam abaixo:

- Desde que começou a jantar, aos 7 meses, Alice fica na mesa com a gente na hora da refeição. Antes disso tínhamos o hábito de comer no sofá, mas como alimentar um bebê no sofá beira o impossível, já nessa época a colocamos no cadeirão e começamos a nos alimentar todos juntos. Isso virou hábito e regra. Todos sempre nos alimentamos juntos e na mesa. Café da manhã, almoço e janta.

- Com 1 aninho, quando a Alice começou a comer a mesma comida que a gente, passamos a deixá-la comer sozinha algumas vezes. Sempre que ela se interessava pela textura da comida, dávamos na mão dela.

- Com 1 ano e meio ela já fazia todas as refeições sozinha, exceto o mingau, que ainda nào tenho coragem por conta da consistência mais líquida.

- Mesmo fora de casa, ela come sozinha. Minha mãe ficava com ela pela manhã e dava almoço, e desde que a habituamos a comer sozinha em casa, minha mãe fez o mesmo na casa dela. Como lá não tinha cadeirão, ela colocava uma toalha no chão e dava o prato no mão da Alice.

- Nunca nos preocupamos com a sujeira. Nessa época comprei um aspirador de pó, e sempre deixamos a Alice a vontade para conhecer as comidas e fazer sujeira, desde que fosse sem querer. Algumas vezes ela fazia graça e jogava a comida do prato de propósito, e nessa hora sempre chamávamos a atenção, ensinávamos que não pode. A bagunça chegou a ser tanta que uma vez ela jogou o prato todo para o alto, e foi dali direto para o castigo. Entretanto deixávamos sempre claro que o problema ali era o desperdício, que nào se pode jogar comida fora, e não a sujeira. 

- Sempre apresento alimentos diferentes, na cor e na textura. Alice gosta muito dessa variação. De uns tempos para cá, por exemplo, ela tem amado comer cenoura crua, enquanto eu faço a janta. Aproveito para dar palitinhos, rodelinhas, vários formatos nas mãos dela para provar.

Como eu disse, não é regra, claro. Mas com certeza essas dicas podem ajudar às mamães e papais que estão desesperados com crianças correndo pela casa. Aqui a regra é: se não sentar na cadeirinha, não come. No começo dá trabalho, mas é recompensador.

E na sua casa, como é a hora das refeições?

Férias Escolares – Ideias do que fazer com a criançada

Se você é mãe ou pai de um pequenino que já vai para escolinha você deve estar enfrentando aquele pequeno momento de crise com a chegada das férias. Como fazer para substituir um ambiente cheio de atividades, amiguinhos e regras que eles estão acostumados a seguir?

IMG_0011

Essas são as minhas primeiras férias escolares com a Manu e estou aqui quebrando a cabeça para pensar em como fazer a minha baixinha gastar sua energia sem me deixar maluca. Vou tentar repetir a rotina da escola, rodízio de 30 minutos em atividades diferentes, lanchinhos e sonequinha.

Abaixo, uma lista de sugestões de atividades para as férias:

  •  Atividade ao ar livre (parque, praça, rua, área de convivência do prédio) – pretendo fazer isso pela manhã, para fugir do sol e para Manu gastar energia e ter fome para o almoço
  • Pintando o Sete - separe um camisetão de adulto, um espaço onde possa rolar uma sujeira (banheiro, área de serviço, lavanderia, quintal...), cartolina, pinceis e tintas guaxe ou outra tinta lavável. É importante ficar do lado da criança para ela não comer a tinta ou sair pintando a casa inteira.
  • Vida Cotidiana - dê objetos para criança que imitem as suas atividades do dia a dia, panelas, bacias com água, vassourinhas e por ai vai, é legal seu filho achar que está ajudando.
  • Massinhas – a maioria dos pequeninos se diverte horrores com as massinhas, porém essa também é uma brincadeira que exige supervisão, já que a massinha pode parecer bem atrativa para as boquinhas curiosas.
  • Embalagens da Alegria – vocês já devem ter percebido que muitas vezes seus filhos gostam mais da caixa do que do próprio brinquedo. Montem uma sacola de tesouros cheia de embalagens e potinhos de produtos como shampoo, cremes, maionese e por ai vai, todas as embalagens que puderem sem limpas e que não ofereçam perigo serão divertidíssimas para seu pequeno explorador.
  • SESC/PRAIA/PARQUINHOS – se sua cidade tem uma unidade do SESC procure saber quais as atividades programadas para as férias e aproveite tudo o que eles oferecem. Além disso, outra opções são passeio na praia (se você mora em uma cidade praiana ou está passeando), além dos parquinhos (gira gira, gangorra...) que são um super sucesso.
  • Pintando – imprima ou faça desenhos e dê giz de cera para que seu filho possa soltar a imaginação.
  • Brincando com formas – compre um painel de metal ou use sua geladeira ou qualquer outra superfície metálica, compre aquelas folhas de imã (vendem em papelarias, comprei na Kalunga) e imprima ou recorte desenhos, formas, letras, números, aquilo que for interessar mais o seu pequeno. Ele vai amar ficar colocando e tirando o imã e vai se divertir de montão. Vale ficar de olho para ele não colocar nada na boca.
  • Piscina, piscininha, bacia, mangueira – envolveu água o seu pequeno vai amar e vai ficar cansado e vai dormir gostoso (tudo o que você precisa para sair correndo e tentar fazer alguma coisa na casa).

Essas são as minhas ideias até o momento, tenho certeza que vou precisar ser bem mais criativa que isso para conseguir entreter a Manu mas já é um começo rs, vocês tem alguma ideia diferente? Já tem algum plano para as férias?

terça-feira, 16 de dezembro de 2014

Gravidez – dores no punho e mãos


Eu não enjoei na gravidez da Manu, não tive desejos, não vomitei, foi tudo tranquilo com exceção das terríveis dores de articulações que eu sentia. Para falar a verdade, eu nem imaginava que a gente podia sentir esse tipo de desconforto e até chegar ao ponto de ter que imobilizar um punho para lidar com essas dores.

Andressa (115)


Quando eu completei cinco meses de gravidez eu inchei bastante, meus sapatos mal cabiam nos meus pés. Nessa fase eu sentindo muita dor nos punhos e uma dormência surreal nas mãos, parecia que toda a minha força havia escoado ralo a baixo e só havia sobrado dois punhos “podres” que não aguentava nem o movimento de passar um shampoo no cabelo.

IMG_1903
Na época eu resolvi procurar um ortopedista, pois achei que tinha algo muito errado e que o meu obstetra não conseguiria me ajudar. O médico que me atendeu, ouviu um pouco da minha descrição e já mandou na lata, o que você tem é uma síndrome do túnel do carpo.
Eu fiquei um pouco em choque, porque eu achava que essa era uma doença que acometia profissionais que repetiam a mesma ação sempre, tipo LER. Mas ele me explicou que por conta do afrouxamento das articulações e do inchaço gestacional que pressiona os nervos é muito comum que as grávidas adquiram essa síndrome de forma passageira.


SINTOMAS

  • Dormência das mãos
  • Formigamento das mãos
  • Queimação ou dores nos dedos, mãos, punhos e ombros.
  • Dor no movimento de pinça com o polegar.


Houve dias que eu não conseguia dormir de tanta dor que eu sentia e fiquei assim por toda gestação, a dor só diminuiu lá pelo segundo mês do meu pós-parto. Isso me atrapalhou muito, pois eu não conseguia ter segurança para segurar a Manu, principalmente na hora do banho.


COMO TRATAR


Amiga, a má notícia aqui é te contar que não tem como curar, é algo que você vai ter que conviver até seu corpo começar a voltar ao normal no pós-parto. Uma dose do medicamento “paciência” é a única coisa que eu posso recomendar.


COMO ALIAR OS SINTOMAS

  • Tente sacudir um pouco as mãos e veja se a dor diminui (a reação é passageira, mas ajuda).
  • Abra e feche as mãos várias vezes, algumas pessoas dizem que esse movimento ajuda.
  • Os trabalhos que exigem movimentos repetidos também agravam as dores, se você puder evitar será melhor (eu não tinha como, escrevia o dia inteiro).
  • Quando você ficar parada, tente deixar as mãos mais elevadas como em cima do ombro do sofá ou de um travesseiro na cama.
  • Sua postura eu uma mesa de escritório podem ser fundamentais no agravamento das dores. Não flexione o punho para baixo ou para cima, tenha um apoio para o seu braço na digitação e opte por teclados e tapetes de mouse ergonômicos.
  • O inchaço é o grande vilão nessa história por isso evite o sal e beba bastante líquido.
  • Use talas de imobilização temporária para que você consiga flexionar o mínimo possível o seu punho. Eu usava muito para dormir, mas achava meio chatinho.

Como a dor demorou a passar, depois que eu tive a Manu eu fiz sessões de fisioterapia para auxiliar na recuperação do meu punho e dedos, não tomei nenhuma medicação, mas casos mais complicados podem pedir tratamentos mais complexos podendo levar até a cirurgia.

Fonte: http://brasil.babycenter.com/a1500480/dor-e-dorm%C3%AAncia-na-m%C3%A3o-na-gravidez#ixzz3L1vSITjR