segunda-feira, 6 de outubro de 2014

O Bebê e seu animal de estimação – depoimento de uma família feliz

Há tempos eu queria escrever uma matéria sobre a importância da convivência das crianças com animais domésticos. Porém, nem eu e a Thiara temos pets em casa, então ficaria muito estranho escrever sobre algo que não conhecemos.

Por isso, tive a ideia de bater um papo com um casal de amigos muito queridos, a Ariadny e o Emídio, pais do Gabriel um bebê lindo de 1a 9m e donos da Fúria, uma Dog Argentino de 3 anos. Ela tem um adestramento básico, algo super importante para animais de raças como a dela. Olha a família ai:

ari e emidio

A Ari me contou, que quando eles descobriram que o Gabriel estava a caminho, começaram a conversar com a Fúria, com muito amor, dizendo que um novo companheirinho de bagunça estava chegando. Além disso, minha amiga deixava a cachorra ficar bastante tempo com ela e seu barrigão, para que ela tivesse a oportunidade de se acostumar com a mudança.

Quando os papais chegaram em casa com seu anjinho a Fúria não foi afastada da família, pelo contrário, eles apresentaram o Gabriel para ela, deixaram cheirar o pezinho e ficar por perto. Na medida em que o Gabriel foi crescendo, eles a deixavam chegar mais perto, dar uma lambidinha nos pezinhos (nem ela resistia a fofura que é pé de neném) e foram ficando mais próximos, até que começaram a brincar juntos.

Gabriel 3

As brincadeiras do dia a dia são bem tranquilas, os papais permitem que eles fiquem juntos, mas sempre com um deles por perto. Quando ela está muito agitada, eles evitam deixar o Gabriel por perto, não por medo de uma mordida, mas como ela é grandona, qualquer movimento mais brusco pode machuca-lo. Eles também ensinam a seu filho que nunca pegue nada da boca dela.

Gabriel 2

Essa relação de amizade tem muitos benefícios para ambos, o pequenino é uma companhia para cachorra, além disso os pais ensinam ao Gabriel que ele deve dividir as coisas com ela, como uma bolacha ou coisas do gênero e ele é uma criança bem paciente, faz bastante carinho na Fúria, dando bastante atenção para ela. Muito amor nessa casa né gente?

A Ariadny falou ainda: “Cremos que a chegada de um novo e pequeno membro na família não pode ser um empecilho para evitar ou excluir o animal de estimação, como não deixá-lo mais entrar em casa ou ficar por perto. A rotina deve permanecer a mesma, tanto para as pessoas da casa quanto para o animal. Claro que algumas adaptações são necessárias, mas nada que saia do normal”.

Eu até tinha pensado em procurar sobre o assunto em alguma fonte ou a palavra de algum especialista, mas eu queria ouvir algo que viesse do coração de alguém, que falasse sobre uma vivência real e fiquei apaixonada pela história dessa família linda, que me ensinou que o amor e o respeito ao animal fazem toda a diferença.

Nenhum comentário:

Postar um comentário